PÍLULAS…PÍLULAS…(04jan)

3
74

O representante comercial Westerley Ramalho nos informa que a Central do Cidadão está agendando para março a entrega de segunda via de RGs. O fato é apenas um dos vários exemplos de falhas na administração estadual. A sorte dos potiguares é que não costumamos ser vítimas de catástrofes naturais. Um governo que não consegue nem ao menos emitir um documento, jamais conseguiria alojar famílias desabrigadas, cadastrar vítimas, cuidar de feridos, evitar saques etc. Que a natureza continue sendo camarada conosco.

*

Alguns analistas acreditam que a ascensão de Cláudia Regina (DEM) ao Palácio da Resistência pode ser o fim da era Rosado em Mossoró. Como a política é muito dinâmica, pode ocorrer de Cláudia Regina romper com seu grupo e então disputar a reeleição sem ser uma comandada dos Rosados. A hipótese é até bem provável, vez que a atual prefeita não tem perfil de submissão. Não tem cara de que permanecerá quatro anos cedendo aos caprichos do líder-mor da família, o ex-deputado Carlos Augusto. Sua reeleição, todavia, dependerá de sua gestão. Se ela cair nas graças do povo, como Dilma Rousseff, ficará muito difícil lhe tomarem o poder.

*

I – E por falar em Cláudia Regina, passados TRÊS meses de sua vitória sobre a ex-deputada Larissa Rosado (que inclusive dá a luz hoje), até agora ninguém conseguiu descobrir como ela conseguiu vencer a disputa. Todas as pesquisas apontavam a vitória de Larissa. Os opositores dizem que foi muito dinheiro, mas como comprar o voto de tanta gente em segredo? Outros dizem que foi o carisma da governadora, que nas últimas semanas de campanha não tirou o pé de Mossoró, visitando populares e prometendo obras.

*

II – O fato é que a vitória de Cláudia pegou a todos de surpresa. No dia da eleição me encontrei com um correligionário do DEM, o qual disse que estava de saída para Tibau, pois não queria ver a comemoração de Larissa. Já do lado da candidata do PSB, houve até correligionário que pediu demissão do emprego, tamanha era a certeza da vitória.

*

III – Alguns dizem que desde o começo tinham certeza da vitória da candidata do DEM, vez que o ex-deputado Carlos Augusto afirmava isso nas reuniões. Ora, nada a ver. Ele apenas cumpria seu papel de motivar o grupo. Pelo que me consta ele não tem o dom de antever o futuro. Apenas agia como um líder, assim como a deputada federal Sandra Rosado, do PSB, dizia que Larissa ganharia.

*

IV – Como Mossoró é desprovida de analistas políticos, no sentido técnico, ficamos apenas com os palpites de uns e de outros. Particularmente sigo a tendência que defende a tese de que a vitória se deveu a um conjunto de fatores, que passa por erros da campanha de Larissa Rosado a estratégias não visíveis de marketing por parte da campanha da candidata do DEM.

*

I – Esta semana escrevi aqui sobre a série Pan AM, exibida pelo canal Sony, que trata do cotidiano dos anos 60, a partir da vida de aeromoças desta companhia aérea. Os episódios costumam retratar vários países do mundo. São nas escalas que as moças saem para conhecer os países e onde tudo acontece. Os episódios já retrataram a França, a Inglaterra, a Alemanha, todas mostradas com muito glamour. Um episódio retratou o Brasil. Aí já viu né?

*

II – Nosso país, como comumente ocorre, foi mostrado como um lugar sem leis e com muita corrupção. Duas aeromoças saíram do hotel para comprar um relógio e acabaram na delegacia. Compraram o item de um camelô e posteriormente a polícia as prendeu porque estavam de posse de um produto roubado. Na delegacia, os policiais insinuavam que queriam dinheiro para liberá-las. Ato contínuo, chegou um dirigente da Pan Am, que pagou o suborno aos policiais, os quais então liberaram as aeromoças.

*

III – Como brasileiro, fico triste quando vejo meu país sendo retratado desta forma, e não culpo os roteiristas da série, que apenas dramatizaram a visão que o mundo tem do Brasil. A culpa está nas nossas origens, na formação do caráter nacional, desde os tempos da colonização. O “jeitinho” e a “malandragem” chegaram aqui junto com o modelo adotado pelos colonizadores portugueses.

*

IV – Para entender mais por que somos um país de caráter corroído, vale ler “Carnavais, Malandros e Heróis”, de Roberto DaMatta; “Dialética da Malandragem”, de Antonio Candido e “Casa Grande & Senzala”, de Gilberto Freyre.

 *

V – Não adianta culpar os políticos do presente. Eles integram a mesma nação de caráter corrido que nós. Caso tivéssemos oportunidade, salvo raras exceções, agiríamos da mesma forma que eles. É o caráter nacional.

3 Comentários

  1. Colorau

    Inclusa na relação de livros o 1808 de Laurentino Gomes que retrata a corrupção no período colonial.

    Abraços

  2. As Pílulas do Tio Colorau, sobretudo quando se trata da futura administração Cláudia Regina me trouxe uma sária dúvida, afinal quem escreveu os tópicos foi o Sr. JULIERME TORRES – Secreta´rio de Comunicação ou o Sr. ERASMO CARLOS TIO COLORAU.

    Caso tenha sido este último, me estranha bastante este flagrante otimismo quanto a administração de alguém, que, inobstante não possua em seu registro de nascimento o sobreome Rosado, a este está deveras vinculado pessoal e políticamente desde que aqui passou a residir, mais ainda se torna flagrnate a dessintonia entre o que projeta o Tio Colorau e a real atuação da Sra. CLAÚDIA REGINA com vereadora nos mandatos quando atuando a fente da edilidade mossoroense, sendo que nes te período, nada mais nada menos referendou e carimbou todos, repito todos os projetos e desejos político-partidários emanados do Palácio da dita Resistência, masi precisamente da dinastia/monarquia ROSADUS.

    A segunda hipótese, é que muito embora nos últimos 30 (Trinta) anos tenha residido em Mossoró e trabalhando como oficial de justiça grande parte da semana em Governador Dix-Sept Rosado, memso assim esteja a se reportar quanto a fatos e perspectivas relativas a algum candidato africano e (ou) árabe, recentemente eleito após a revolta popular ocorrida em vários páises africanos e ara´bes, denominada de primavera Árabe.

    Falo nestes termos caros Web-leitores, exatamente por que nada, repito nada nos leva a crer que a Sra. Claúdia Regina possa realizar uma revolucionária administração a fente dos destinos do país de Mossoró. Sei que impossível, é apenas uma palavra, mas, as condições objetivas prá que efetivamente algo venha a acontecer no tocante a fala do Tio colorau passa ao largo de qualquer exame/análise razoável e (ou) lógica que se possa fazer da historicidade política do país de mossoró ao longo dos últimos 80 (oitenta) anos.

    O mais provavel é que a corrupção em todas as áreas da admnistração continue em alta, e, assim mesmo não sendo noticiada uma linha sequer pela nossa “aguerida e nada venal” imprensa mossoroense. Continuem igualemente os super contratos e “licitações” prá ingles observar quanda da implentação das maquiagens em praças, avenidas, ruas e outras quinquilharias no centro e (ou) próximo ao centro da cidade e ao mesmo tempo grande parte da população, aquela que realmente precisa do braço do estado quanto segurança, médico-hosptitalar, habitação educação, cultura e, sobretudo informação de qualdiade, contuinuem absolutamente ignorada pelos poderes públicos de Mossoró, que sabidamente, de público, de fato só possui o nome.

    O mais são abobrinhas escritas recheados de engodos e mitologias tipo Sace Pererê, Papai Noel, Mula sem cabeça, fadinhas, gnomos etc e etc.

    Um baraço

    FRANSUÊLDO VIEIRA DE ARAÚJO.
    OAB/RN. 7318.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome