quarta-feira, 12 abril, 2017 – 07:14 am

ROSALBA E ROBINSON, ENFIM UNIDOS, POR EDSON FACHIN.

fabio-feirinha-2

As investigações foram motivadas por delações de executivos e ex-executivos da Odebrecht, os quais descreveram vários casos de crimes como corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Todos envolvendo políticos.

Diante das delações, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, abriu 83 inquéritos, contra 108 políticos. O conteúdo de todos foi enviado ao ministro Edson Fachin, que autorizou a abertura de inquéritos no âmbito do STF.

O inquérito nº. 4.452 PGR tem como alvos o governador Robinson Faria (PSD), o deputado federal Fábio Faria (PSD) e a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini (PP). Neste inquérito, os delatores foram Alexandre José Lopes Barradas, Fernando Luiz Ayres da Cunha Reis, Benedicto Barbosa da Silva Júnior, Ariel Parente e João Antônio Pacífico Ferreira. Foram eles que entregaram as falcatruas do trio acima.

Segundo os relatos, a Odebrecht Ambiental pagou R$ 800 mil ao trio a título de contribuições eleitorais. Em troca, “venceria a licitação” para conduzir as obras de saneamento básico no âmbito do Rio Grande do Norte. Por atuar como concessionária de serviço público, a Odebrecht Ambiental não poderia fazer contribuições eleitorais de forma legalizada. Os R$ 800 mil foram divididos da seguinte forma: Rosalba (R$ 350 mil), Robinson Faria (R$ 350 mil) e Fábio Faria (R$ 100 mil).

Esta é a acusação, que agora será investigada pelo STF. Os crimes apontados são corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

No departamento de propina da Odebrecht, Fábio Faria tinha os apelidos de “Bonitão” e “Garanhão”, Robinson Faria era o “Bonitinho” e a ex-governadora Rosalba Ciarlini era chamada de “Carrossel”.

O inquérito não fala em data, mas pelo teor sugere que as tratativas se deram nas eleições de 2010, pois diz que Robinson Faria era vice na chapa encabeçada por Rosalba Ciarlini.

Única prefeita citada na lista, Rosalba Ciarlini tratou logo de enviar nota a alguns órgãos de imprensa negando participação no esquema. Fez o que todos os políticos fazem. Até agora não vi nenhum deles confessando os crimes que cometeram.

PITACO DO TIO – De certo, não podemos condenar a prefeita de prima. As investigações vão começar agora, mas o fato de ter o nome citado já é um grande indício de cometimento de crime, isso é inegável.

Rosalba Ciarlini dividirá agora o tempo entre a administração do município e a tentativa de se defender das acusações que lhe são imputadas. É mais um político que dormirá receoso de a campainha tocar às 5h da manhã.

Algumas ações perpetradas pela prefeita também sugerem que ela tem receio do que lhe possa acontecer, uma dessas ações foi a escolha de uma vice-prefeita sem histórico político, alguém que, assumindo a titularidade da prefeitura, deverá atuar sob orientação do ex-deputado Carlos Augusto, esposo da prefeita.


Vocé pode acompanhar todas as respostas a esta entrada através do RSS 2.0 feed.

1 Comentário

13/04/2017
Francy Granjeiro

Parentes Oligárgicos do RN. MAR de lama (Maias Alves Rosado?) atolados até o eixo na Lava Jato
A empreiteira Odebrecht, cujos delatores fornecem informações aos procuradores, possuía um grupo especial, chamado de setor de operações estruturadas, ou setor de propina, com autonomia e recursos próprios para lidar com os políticos e alimentar os esquemas de corrupção.

http://esquerdaonline.com.br/2017/04/13/politicos-rn-na-mira-da-justica/