Pílulas…pílulas…pílulas…(25out)

0
45

A Câmara dos Deputados deverá decidir hoje acerca da nova denúncia em desfavor do presidente Michel Temer, desta feita por obstrução de justiça e organização criminosa. Como ocorreu na primeira votação, Temer deverá se safar da investigação. Para a suspensão do processo, o presidente precisa de 172 deputados. Pelas contas, ele já comprou bem mais do que isso.

A única tática da oposição é tentar esvaziar a Câmara, para que o quórum mínimo não seja alcançado e então a votação só ocorra na semana que vem. Assim, o presidente ainda passaria uma semana “sangrando”.

Não vejo essa tática como acertada. Uma semana a mais de negociações e o presidente vende até a floresta amazônica para a bancada ruralista poder devastar por completo. E este é o grande problema: as negociações entre o presidente e os deputados venais só sobram para o lombo dos brasileiros comuns.

O presidente Michel Temer está se aproveitando da hipnose de grande parte do povo brasileiro, que só pensa contra o PT, para abusar dos crimes contra a administração pública, diminuir direitos dos trabalhadores, reduzir despesas em áreas sociais, privatizar empresas estatais etc., tudo sob o olhar passivo da população, que parece não se importar de ser roubada, desde que o ladrão não seja o PT.

*

Ainda sobre a votação de hoje, esta servirá para ver se o presidente terá fôlego para aprovar as reformas previdenciária e tributária, as quais precisam de um quórum maior, por mudarem a Constituição Federal. Assim como é certo que o presidente se safará da denúncia de hoje, também é certo que ele não conseguirá aprovar essas duas reformas.

*

Em decisão datada do dia 23 de outubro último, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), através do conselheiro André Godinho, determinou ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte que suspendesse a agregação da comarca de Afonso Bezerra. A decisão foi dentro da ação nº 0007746-50.2017.2.00.0000, proposta pelo município de Afonso Bezerra, tendo como patrono o advogado Thiago Cortez.

Ao ler a decisão, vê-se que há um grave equívoco, o que deverá acarretar sua reformulação. O conselheiro diz que, ao ter uma média de 296 processos novos por ano no último triênio, Afonso Bezerra alcançaria mais de 50% da média geral do estado (439 processos), exigida para que uma comarca não seja agregada.

Na realidade, 439 já é o mínimo necessário, ou seja, 50% da média geral, que é de 878 processos novos. Houve um flagrante equívoco.

*

Quanto à comarca de Governador Dix-sept Rosado, esta alcançou uma média de 419 novos processos por ano, ou seja, apenas 20 abaixo do mínimo necessário, de 439 processos. Dois processos a mais, por mês, já seria suficiente para que ela não fosse agregada.

Ao conversar com a promotora de Justiça da comarca, Joyciara Moraes, sobre os números, ela relatou algo interessante. Disse que nos últimos anos priorizou a resolução de conflitos no âmbito do próprio Ministério Público, não sendo necessário ajuizar demandas, sobretudo nos casos de família. Ou seja, o caráter conciliatório da promotora, tão elogiado no direito atual, findou por prejudicar a comarca. “Se eu soubesse…”, disse a promotora.

*

Os índios cuidavam da natureza? A feijoada foi inventada pelos escravos? O Brasil é o país do futebol? O samba é um ritmo nacional? Tudo isso, e muito mais, não representa a verdade, pelo menos é o que trouxe o livro “Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil”, de Leonardo Narloch.

A publicação já tem bastante tempo, e já falei dela num post antigo. Volto ao assunto, pois o livro se transformou em série, exibida no canal History, todos os sábados, às 20h45 (horário Local). O primeiro episódio foi ao ar no sábado passado. Os entrevistados, todos historiadores renomados, tratam dos assuntos de forma bem didática e divertida. O formato é excelente. Assista, você vai gostar.

*

Hoje tem Fla x Flu no Maracanã. O clássico será o primeiro jogo das quartas-de-final da Copa Sul-americana. O confronto está marcado para as 20h50 (horário local).

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome