Flávio Capitulino, um paraibano de Campina Grande que se tornou milionário na Europa.

0
339

Flávio Capitulino nasceu em Sousa (PB), mas foi criado em Campina Grande (PB), seu xodó. Nos anos 80 ele intermediou a adoção de uma criança por um casal de franceses. A convite do casal, foi para a França, a fim de continuar ajudando na comunicação entre os franceses e a criança.

Chagando lá, não foi bem o que esperava. O casal o fez de babá, faxineiro, jardineiro etc. Certa vez, ao visitar a casa de uma senhora da vizinhança, viu e então pediu para restaurar o pé de uma mesa de laca chinesa. A senhora deixou. O trabalho ficou perfeito. Começava assim o sucesso do paraibano na Europa.

De móveis de luxo, Capitulino passou a restaurar obras de arte, o que fez dele um homem milionário. Seu trabalho, contudo, é bastante questionado. Ele não tem formação técnica e nem trabalha em instituições formais. Capitulino presta seus serviços para colecionadores particulares, os quais nem sempre podem comprovar a origem da obra, se lícita ou não.

Capitulino ainda é criticado por fazer restaurações que descaracterizam as obras, inobstante deixa-las mais bonitas, algo que um restaurador com formação jamais faria. Errado ou não, o fato é que o paraibano se tornou milionário restaurando obras de arte na Europa, onde vive boa parte do tempo.

Noutra parte do tempo ele não vai para os EUA, nem para a Ásia etc. Ele gosta mesmo é de Campina Grande, onde desfila com uma BMW, que comprou a vista por R$ 280 mil, e mora numa mansão de 05 mil m², onde gastou, apenas no quarto, R$ 600 mil.

Na cidade, vai para todo canto, mas não dispensa um segurança. Capitulino tem 51 anos e é casado com o conterrâneo Clodomiro Jr, com quem tem dois filhos adotivos.

Mais uma interessante história de quem sai do sertão nordestino para fazer sucesso no exterior.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome