Racionalidades – 19ª edição.

0
69

DÓI SER EDUCADO? – No cotidiano vejo as pessoas acanhadas – para usar um termo mais sereno – em usar as “palavras mágicas”: bom dia, boa tarde, boa noite, licença, desculpe-me, por favor e obrigado. Não custa nada ser educado, seja no elevador do prédio, seja ao entrar num ambiente onde outras pessoas já se encontram, na repartição pública, na escola, no trabalho. Um “bom dia” não tira pedaço, e não se importe se lhe retribuirão o gesto de educação. Faça sua parte.

Não dói ser educado e gentil, pode sê-lo.

É tão bonito quando, logo pela manhã, somos agraciados com um “bom dia” feliz, dito em alto e bom som. Faz-nos bem.

*

GOLPE MILITAR – A tomada do poder pelos militares, em 1964, voltou a ser um assunto corrente no Brasil, isso por causa da surpreendente tentativa do candidato a presidente, Jair Bolsonaro (PSL), de negar esse fato histórico, amplamente conhecido e divulgado. É como negar a existência da Segunda Guerra Mundial.

Quando trata do assunto em pormenores, o candidato diz que o Golpe Militar teve apoio de grande parte da imprensa e de políticos relevantes da nação. Sugere assim que foi algo bom para o país.

*

FATO – Realmente, o Golpe Militar, no início, foi apoiado pelos maiores órgãos de imprensa do país e também por personalidades de peso, como Carlos Lacerda, Ulisses Guimarães, Magalhães Pinto e a escritora Rachel de Queiroz.

Naquele instante, ninguém sabia ao certo o que iria acontecer. O primeiro militar a assumir a presidência, Castelo Branco, disse no discurso de posse que a permanência no poder dos militares seria por pouco tempo, que em menos de dois anos seria realizada uma eleição para a escolha, pelo povo, de um novo presidente.

*

A REALIDADE – Os meses se passaram e o governo dos militares não foi bem o que o povo esperava, muito pelo contrário. O Congresso Nacional foi fechado, o número de ministros do STF foi ampliado, a tortura passou a ser política de estado, as liberdades foram cerceadas, enfim, toda uma sorte de ações que desapontaram a população, que já não podia falar mais nada, pois todos os críticos do sistema corriam o risco de serem torturados e mortos nos porões do Doi-Codi.

*

MUDANÇA – Diante do quadro que se pintou, os apoiadores do golpe mudaram de lado e começaram a criticá-lo ferozmente. Carlos Lacerda, então governador do Rio de Janeiro, chegou a dizer que os comunistas tinham razão, que o regime militar era subserviente aos interesses dos Estados Unidos. Ulisses Guimarães passou a percorrer o Brasil denunciando as atrocidades cometidas pelo governo dos militares.

*

A VERDADE – Assim, dizer que o regime foi apoiado pela grande imprensa e por vultos da República é distorcer a realidade. O apoio se deu no início, mas logo caíram na real e deixaram de compactuar com as ações truculentas dos militares.

*

ANDORINHA – O único que ainda não caiu na realidade foi o candidato Jair Bolsonaro (PSL), para quem a Ditadura Militar é uma obra de ficção, e muitos dos seus seguidores repetem o mantra, o que me deixa estarrecido.

*

KIT GAY – Outro assunto resgatado pelo candidato Jair Bolsonaro (PSL) foi o chamado “kit gay”, uma história que já foi esclarecida várias vezes, mas que o candidato insiste no assunto para penumbrar sua falta de conhecimento nos reais problemas na área de Educação.

Na edição de junho de 2017 da revista Piauí, o ex-ministro da Educação, Fernando Haddad, explicou como tudo se deu. É bom ler:

Sensação semelhante, de percepção dos próprios limites diante de uma situação que indica maus presságios, eu tive em 2011, no Ministério da Educação, durante a crise do chamado “kit gay”. A história toda, a começar pela expressão preconceituosa, é um exemplo de como uma informação falsa pode ser criada (e deliberadamente mantida) com intenções políticas nefastas – e consequências sociais que reverberam até hoje.

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara, acertadamente, aprovou uma emenda de bancada ao orçamento, designando recursos para um programa de combate à homofobia nas escolas. O Ministério Público pressionou o MEC para a liberação da emenda. Só então o MEC entrou na história, solicitando a produção do material a uma ONG especializada. No exato momento em que o material foi entregue para avaliação, eclodiu a crise do “kit gay”.

Desde o início, quem lia as notícias imaginava que aquela era uma iniciativa do Executivo, quando na verdade a demanda havia sido do MP e do Legislativo. Também se sugeriu que o material estivesse pronto e já distribuído, quando sequer havia sido examinado. Expliquei tudo à imprensa e às bancadas evangélica e católica do Congresso, e o mal-entendido parecia desfeito. (…) mas a polêmica do “kit gay” – que foi sem nunca ter sido – estendeu-se por meses.

*

O LIVRO – A obra “Aparelho Sexual & Cia”, escrito pela francesa Hélene Bruller, foi publicada no Brasil em 2007, pela Companhia das Letras. No livro, ela tenta explicar questões sexuais aos pré-adolescentes. A página que Bolsonaro destacou explica como funciona o sexo entre homem e mulher, um assunto que muitos pais têm dificuldade para conversar com os filhos.

Os pais têm plena liberdade para comprar ou não o livro, que já foi publicado em dez idiomas e vendeu mais de 1,5 milhão de exemplares. Diferentemente do que disse o candidato, a obra nunca foi adotada em nenhuma escola pública do país.

Atualmente o livro está fora de catálogo, só sendo possível encontrá-lo em sebos, com preços que variam de R$ 109,00 a R$ 230,00.

Com certeza, 90% dos eleitores de Bolsonaro não sabiam nada acerca dessa obra, que circula apenas na seara privada.

*

CONCLUSÃO – Aos poucos vamos vendo que a campanha de Jair Bolsonaro (PSL) está alicerçada em distorções e mentiras.

*

FRASE “Quem abriu a caixa de Pandora de onde saiu o presidenciável Jair Bolsonaro foi o tucanato”. (Fernando Haddad, na mesma matéria acima referida).

*

NEPOTISMO – Li na imprensa do Ceará que o juiz Diogo Altorbelli, da Vara Única da Comarca de Alto Santo, naquele estado, determinou que a prefeita do município, Maria Irisneile Gadelha Sousa Costa, exonere, no prazo de dez dias, a irmã dela, Maria Irisneila Gadelha Sousa, do cargo de Secretária de Assistência Social, sob pena de multa diária de R$ 3.000,00.

A ação requerendo a exoneração da irmã da prefeita foi protocolada no último dia 18, assinada pelo promotor de Justiça Gleydson Pereira.

Duas observações: primeiramente a rapidez para analisar e decidir o pedido, o que por si só já é admirável; em segundo, o teor da decisão, sobretudo quando se compara com Mossoró e outras cidades do estado, onde o nepotismo não é exceção, mas regra.

MOSSORÓ – Nos primeiros meses da gestão da prefeita Rosalba Ciarlini (PP) havia dois filhos dela ocupando cargos de secretário. Atualmente não há mais nenhum, mas unicamente por razões políticas. Ninguém a incomodou quanto ao nepotismo.

*

EXCEPCIONAL – Reitero a recomendar o podcast Presidente da Semana, uma iniciativa da Folha de S. Paulo. Os episódios são editados e apresentados pelo jornalista Rodrigo Vizeu. A cada semana ele conta a história de um presidente, desde Deodoro da Fonseca. Atualmente está no 20º episódio, sobre Ernesto Geisel.

Os podcasts estão disponíveis no site da Folha de S. Paulo e também no Spotify.

*

AO TRABALHO – Esse ano não teremos em Mossoró e região a tradicional greve dos bancários. O sindicato que representa a categoria aceitou a proposta de 5% de reajuste oferecida pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), além de outras vantagens.

Há possibilidade, contudo, de ter greve dos bancários em Natal a partir do dia 03 de setembro, vez que o sindicato que representa os funcionários de lá não aceitou a proposta.

*

PROPAGANDA ELEITORAL – Começa hoje, com as campanhas estaduais, a tão esperada propaganda no rádio e na TV. Na rádio os programas serão às 7h e 12h; já na TV serão às 13h e 20h30. Amanhã será a vez dos candidatos à presidência da República.

O candidato Geraldo Alckmin (PSDB), que terá o maior tempo entre os presidenciáveis, acredita que sua campanha decolará após o início da propaganda. É a sua única esperança de subir e então ir para o segundo turno.

*

ORELHA EM PÉ – A presidente do TSE, ministra Rosa Weber, convocou uma sessão extraordinária para hoje, às 14h30. As sessões ordinárias da Corte ocorrem às terças-feiras, às 19h, e às quintas-feiras, a partir das 9h. A pauta, todavia, não foi revelada pelo tribunal.

Segundo a grande imprensa, a sessão foi convocada para que seja julgado o pedido de registro de Lula, bem como sua participação na propaganda eleitoral. A intenção maior é evitar que Lula apareça na propaganda de amanhã.

Caso isso seja confirmado, será mais uma prova explícita de atuação direcionada exclusivamente para prejudicar o Partido dos Trabalhadores.

*

PERDA – Faleceu ontem, de causas naturais, o senhor Afonso Araújo, de 87 anos. Ele era o servidor público municipal de Mossoró mais antigo ainda em atividade. Começou a exercer o cargo de Agente Fiscal de Tributos em 1950, ou seja, há impressionantes 68 anos.

Não o conheci, mas quem teve essa oportunidade o desenha como um homem íntegro, honesto, compromissado com o correto.

Dedico à sua memória esse post de hoje.

*

SUGESTÕES/CRÍTICAS – Esta coluna é atualizada às sextas-feiras, sempre às 04h59. Sugestões e críticas podem ser enviadas para o número 99648-2588 (WhatsApp).

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome