Racionalidades – 23ª edição.

3
49

SEM ALARDE – Na última segunda-feira à noite vi o deputado federal Rogério Marinho (PSDB) na pizzaria Della Costa, bairro Doze Anos. Na oportunidade ele estava acompanhado do ex-vereador Genivan Vale (PDT) e mais dois assessores.

Ao nos cumprimentarmos, eu disse que não sabia que ele tinha agenda em Mossoró naquele dia. O deputado respondeu que não estava cumprindo agenda pública, que tinha vindo a Mossoró conversar com empregados de cinco ou seis empresas, esclarecer as polêmicas envolvendo a Reforma Trabalhista, da qual foi relator. “Há muita desinformação quanto à reforma, por isso faço questão de visitar as empresas para mostrar aos empregados que ela não retirou direitos”, fraseou. A Honda e a Santa Clara foram duas das empresas visitadas.

Num dado instante, um dos empregados da pizzaria chegou para mim e sapecou: “- Viu quem está ali, aquele deputado que tirou os direitos dos trabalhadores”. Pelo jeito, Marinho ainda tem um longo caminho a percorrer.

O deputado e seus assessores comeram uma pizza grande e pediram outra pra viagem. O ex-vereador Genivan Vale foi de sushi.

*

ROMPIMENTO CUSTOU CARO – Nas últimas eleições para governador Robinson Faria (PSD) recebeu o apoio explícito do ex-presidente Lula (foto acima), o que contribuiu para sua vitória, vez que o favorito era o ex-deputado Henrique Alves (MDB).

O governador, no entanto, se posicionou a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, o que causou o rompimento entre ele e o PT. Robinson e seu filho, o deputado federal Fábio Faria, prosseguiram na cruzada contra o Partido dos Trabalhadores. Politicamente, não foi uma decisão sábia.

Os governadores do Nordeste que se mantiveram fieis ao ex-presidente Lula da Silva estão disparados nas pesquisas, é o caso de Wellington Dias (PI), Rui Costa (BA), Camilo Santana (CE), Flávio Dino (MA) e Renan Filho (AL), todos com grande possibilidade de vencer no primeiro turno. Robinson Faria, no entanto, segue patinando em terceiro lugar nas pesquisas, sem nenhuma perspectiva de crescimento.

*

ROBINSON, A NOVA APOSTA – Na última quarta-feira (26), o governador Robinson Faria (PSD) anunciou, no programa Meio-Dia RN (98 FM – Natal), que compactua e simpatiza com as ideias do candidato Jair Bolsonaro (PSL). O anúncio do apoio não deverá somar nada a sua candidatura, muito pelo contrário. Os eleitores de Bolsonaro não possuem perfil para votar em Robinson. Por outro lado, os que rejeitam tal presidenciável encontram no anúncio um motivo para não votar em Robinson Faria.

O PSD, partido de Robinson Faria, faz parte da coligação Para Unir o Brasil, que tem como candidato o ex-governador de São Paulo (SP), Geraldo Alckmin (PSDB).

*

CONSTITUIÇÃO FEDERAL – Na próxima sexta-feira (05) a nossa Lei Maior completa 30 anos de existência. Vários deverão ser os documentários e as matérias jornalísticas sobre tão importante evento. É bom, inclusive, para aproveitarmos e entender mais como é feita e como funciona uma constituição democrática, sobretudo nestes tempos onde tem gente querendo revogar a atual Constituição Federal e querendo fazer outra através de um obscuro “grupo de notáveis”.

Particularmente, acho que deveríamos, nos próximos anos, reunir uma Assembleia Constituinte para escrever uma nova constituição para a República. A atual tem muitos penduricalhos, o que difere das constituições dos demais países desenvolvidos, onde a Lei Maior é bastante enxuta, tratando unicamente de assuntos realmente relevantes.

Ora, a presente Carta Magna diz até que o Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, deverá ser mantido na órbita federal. (Art. 240 § 2º).

*

CONSTATAÇÃO“Essa radicalização simbólica da política foi produzida pela direita e extrema-direita. O governo de esquerda não era um governo de radicalização política. Muito pelo contrário. Era um governo de conciliação, de pacto social desenvolvimentista-progressista, com avanço do capitalismo e desenvolvimento do mercado interno. Essa invenção de uma política extremada, delirante, com uma série de premissas falsas, é uma construção própria da extrema-direita”. (Tales Ab’Sáber, psicanalista e ensaísta, em entrevista ao jornal O Povo).

*

OJERIZA – Esta semana pude sentir na pele parte da repulsa da população pelos políticos. Em razão do meu ofício cheguei a uma casa por volta das 16h. Após tocar a campainha, uma senhora aparece à porta e então sapeca: “Desculpe, tenho tempo para candidato não, além do mais estou com nojo dos políticos”. Ato contínuo, esclareci que não era candidato etc.

Este simples fato demonstra a insatisfação de parte da população com os políticos. E, digo mais, não é sem razão.

*

REDE FERROVIÁRIA* – Um dado que provoca susto: a rede ferroviária no Brasil tem praticamente a mesma extensão de 1922, quase um século depois: 30 mil km, dos quais apenas 20 mil são usados. É de estarrecer. Lembre-se que nossa rede já foi a segunda mais extensa do mundo. Mais zeros: no passado, 80% dos deslocamentos de passageiros entre cidades do Sul/Sudeste eram feitos por ferrovia. Hoje, esse índice é de zero. (*Gaudêncio Torquato do Rego)

*

HISTÓRIA – No dia 23 de maio de 1928, na suíte 235 do hotel Copacabana Palace, a marquesa italiana Elvira Vishi Maurich, deu um tiro no abdômen do então presidente Washington Luís, seu amante. Ele foi internado às pressas com “crise de apendicite”. Ela se suicidou jogando-se da janela instantes depois do atentado.

*

STF – O próximo presidente do Brasil, seja quem for, nomeará dois ministros para o Supremo Tribunal Federal.

*

ATÉ QUE SE PROVE O CONTRÁRIO… – O Uber excluiu se seus quadros um motorista acusado de violência doméstica. Inconformado, o indiciado requereu na Justiça sua reintegração ao aplicativo, vez que não há condenação em seu desfavor, mas apenas um inquérito policial em andamento. A Justiça lhe deu razão, obrigando o Uber a reintegra-lo. O fato aconteceu no Distrito Federal.

*

ATO SOLITÁRIO – A Polícia Federal já concluiu que o ataque ao candidato Jair Bolsonaro (PSL) foi um ato isolado. Após uma investigação minuciosa ficou claro que não teve ninguém por trás do ataque, como muitos dizem, inclusive a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini (PP).

Adélio Bispo agiu só, o que não é nada extraordinário. A história está cheia de casos assim: Mark Chapman matou John Lennon, John Wilkes Booth matou Abraham Lincoln, Mehmet Ali Agca tentou matar o Papa João Paulo II. Todos eles planejaram e cometeram tais crimes sozinhos.

*

SEM CIDADANIA – O PSB pediu ao STF que garantisse o direito a voto dos 03 milhões e 400 mil brasileiros que não fizeram o cadastro biométrico. Por maioria de votos (7 a 2) o órgão não acatou o pedido. Tamanha quantidade de votos, numa disputa acirrada como esta, faz muita diferença.

Não custa lembrar que a diferença de Dilma Rousseff (PT) para Aécio Neves (PSDB) foi justamente de 3,4 milhões de votos.

*

13º EM RISCO – Em palestra para empresários no interior do Rio Grande do Sul, o general da reserva Hamilton Mourão (PRTB), candidato a vice-presidente na chapa encabeçada por Jair Bolsonaro (PSL), fez críticas ao 13º salário e ao adicional de férias, disse que ambos os direitos são “mochilas nas costas dos empresários”, e que só existem no Brasil.

Após grande repercussão negativa, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) postou no Twitter que o 13º era um direito garantido constitucionalmente e que não poderia ser revogado nem mesmo através de Projeto de Emenda à Constituição (PEC).

O general Mourão vem dando vários sinais de que passa longe de ser democrático e comprometido com direitos adquiridos, especialmente os sociais e trabalhistas.

Sabemos que o candidato não é ele, mas devemos atentar que ninguém é imortal, e que no Brasil não é raro que vices assumam o posto do presidente, sobretudo quando este não consegue formar maioria no Congresso.

*

INUSITADO – Ontem, num evento formal na sede do BNDES, contando com a presença de vários ministros, um servidor do banco, com crachá e tudo, se dirigiu ao presidente Michel Temer, que estava na mesa das autoridades, e apostrofou: “Você não tem vergonha na cara?”.

O constrangimento foi geral. Passar por situações como esta em eventos públicos é até comum, mas num evento fechado, com acesso limitado, é atípico.

O servidor foi encaminhado para o ambulatório do banco, pois, segundo a versão oficial, ele teve um surto. Eu acho que não, viu?

*

SUGESTÕES/CRÍTICAS – Esta coluna é atualizada às sextas-feiras, sempre às 04h59. Sugestões e críticas podem ser enviadas para o número 99648-2588 (WhatsApp).

3 Comentários

  1. ATENTADOS – Booth e Agca agiram sozinhos no sentido literal, mas pano de fundo havia. Booth não teve como confessar, mas o turco, sim. Já a Chapman – que parece que vai bater recorde de pedido de saída da prisão – é atribuído ato tresloucado, individual.

  2. Essa notinha de rogério marinho foi copiada da coluna cris alves? Tá bem socialite.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome