Racionalidades – 54ª edição.

0
53
Foto: Katharina Gurgel.

VÍTIMA DA HOMOFOBIA – Esta semana a promotora de eventos Katharina Gurgel usou sua conta no Facebook para descrever uma conversa que teve com a travesti Alana, que diariamente perambula pela cidade usando longos vestidos coloridos. Foi o post mais movimentado da minha timeline na semana.

No diálogo, Alana disse que sua família é do Maranhão, mas há vários anos mora em Mossoró, que possui pais e irmãos vivos morando na cidade, mas todos a abandonaram quando Alan, nome de batismo, decidiu ser Alana.

Au au, como também é conhecida, disse que mora na rua, que dorme e toma banho na praça do cemitério, e confessou ser alcoólatra. Afirmou que não gosta de ser vulgar, daí o uso de vestidos longos, estilo cigana.

Além da luta pela própria sobrevivência, Au au também luta pelos direitos dos animais abandonados, especialmente cachorros, daí seu apelido.

Outros detalhes podem ser vistos no meu perfil no Facebook, onde compartilhei o post de Katharina Gurgel.

O OUTRO LADO – Ao ler o post, uma pessoa que conhece a história da travesti entrou em contato para contar outra versão dos fatos. De prima, o leitor disse que o nome de batismo da travesti é Alan Flávio, e que a família morava numa rua transversal à Antonio Veira de Sá, região limítrofe entre os bairros Nova Betânia e Aeroporto.

O pai e o irmão de Flávio, segundo minha fonte, chegaram a montar um grupo musical chamado Spider, bem conhecido à época. Ele não sabe informar, contudo, quando houve a transformação de Alan Flávio para Alana, e por que ela foi morar na rua, vez que perdeu o contato com a família antes de isso acontecer.

Ele lembrou que o petroleiro Chagão, pai da travesti, tornou-se alcoólatra e acabou por tirar a própria vida, isso nos anos 80. Daí em diante a família desmoronou.

Minha fonte acrescentou ainda que o fato de Alan Flávio ter optado por essa vida tem menos a ver com homofobia por parte da família, como ele disse, e mais a ver com o alcoolismo. Sobre seus parentes, ele informou que a mãe ainda é viva, mas bastante doente, e que enquanto teve saúde ela tentou acolher a travesti.

Disse ainda que o irmão da travesti, o que integrava a banda, trabalha hoje com transporte de passageiros e que a irmã trabalha na área da saúde. A fonte mencionou todos os nomes e ocupações exatas dos familiares vivos, mas optei por omiti-los.

CONFIRMANDO – O blog entrou em contato com um músico que fez parte da banda Spider e que também conheceu a família de perto. Ele confirmou todas as informações do leitor, só discorda do ponto referente à homofobia. Ele acha que a não aceitação, por parte da família, da homossexualidade de Alan Flávio foi fator preponderante para ele ir morar nas ruas.

O músico ouvido pelo blog acrescentou que Alan Flávio era uma pessoa de poucas palavras, e que já notava nele um comportamento meio atípico, de quem não tinha o pleno domínio de suas faculdades mentais.

*

UM CASO DE HOMOFOBIA PURA – Há, no bairro Boa Vista, um cidadão, aparentemente portador de doença mental, que vive perambulando pelas ruas. Consoante os mais antigos, até o início da adolescência ele era uma pessoa totalmente sã, mas que começou a se descobrir homossexual. Foi quando seus pais, muito conservadores, começaram a bater naquele adolescente, para que ele virasse “homem”. As surras e pressões foram tantas que o jovem enlouqueceu, e assim segue até hoje.

Assim, os pais, que não queriam um filho gay, hoje têm um filho gay, louco e praticamente morador de rua.

*

COMPROMISSO SOCIAL – As empresas Vita + e Ecofértil lançaram um elogiável programa social na semana passada: a construção de um poço profundo (350m) com chafariz, que custou R$ 300 mil, bancados totalmente com recursos próprios. O investimento beneficiará os moradores do Assentamento Monte Alegre e adjacências, em Upanema (RN).

Segundo os proprietários das empresas, os sócios e irmãos Ricardo Cézar e Hericsson Gustavo, este projeto, denominado Vita + Social, é apenas o primeiro de uma série que eles pretendem implementar naquela região.

QUEM SÃO – A Vita+ é uma empresa de fruticultura irrigada com projetos em Governador Dix-sept Rosado, Upanema e no Ceará. No município de Governador a empresa tem sido a responsável por acolher a mão de obra que havia ficado ociosa após a desativação da maioria dos fornos que produziam cal. Escutamos diariamente frases do tipo “Esses meninos da Vita+ têm sido a salvação para Governador. Espero que eles fiquem aqui por muitos anos”.

A Ecofértil, dos mesmos irmãos, é uma empresa de fertilizantes agrícolas.

*

DESIGUALDADE SOCIAL – Em março deste ano o Brasil alcançou o maior índice de desigualdade social desde 2012, quando teve início o estudo, avaliado no índice de Gini. Por ele, quanto mais próximo de 1,0 maior a desigualdade social. Em março deste ano ele alcançou 0,6257, o maior índice da série histórica.

Esse dado, divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), nos permite dizer que somos um dos países mais desiguais do mundo.

*

MALA SEM ALÇA – A empresa Travelmate Robotics criou uma mala que se movimenta sozinha, conectada ao smartphone do proprietário. Clique aqui e veja o vídeo demonstrativo.

*

PARCERIA DO MUNICÍPIO COM O TRT – A partir de agora todos os magistrados e servidores do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN) terão acesso ao Sistema Integrado de Administração Tributária do município de Mossoró.

A medida é resultado de um acordo de cooperação técnica assinado entre o juiz Hamilton Vieira Sobrinho, administrador do Fórum Trabalhista de Mossoró, e o secretário da Fazenda de Mossoró, Abraão Padilha de Brito.

“Vamos desburocratizar as requisições feitas ao município, atualmente por meio de ofício, de modo que os servidores passarão a consultar as informações diretamente ao banco de dados da prefeitura”, comemora o juiz Hamilton Vieira.

Com o acordo, as consultas sobre débitos de imóveis penhorados e a investigação patrimonial em execuções trabalhistas também serão feitas diretamente no Sistema de Administração Tributária do município.

Participaram das negociações do acordo de cooperação técnica os servidores Victor Bruno de Santana Nogueira, Ana Cláudia Caldas Sousa, Max Alexandre Campos e Francisco de Assis Costa.

*

FALANDO NISSO… – Começará no próximo dia 12 de julho, uma sexta-feira, o processo de escolha do novo desembargador do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 21ª região. O advogado escolhido ocupará a vaga deixada por José Rego Júnior, falecido no início do ano.

Nessa primeira fase, os advogados escolhem seis nomes, entre os 24 que colocaram o nome à disposição. Formada a lista sêxtupla, esta é enviada para o TRT 21, que a transforma em tríplice e a encaminha para o presidente da República, que então escolherá o futuro desembargador federal do Trabalho.

Entre os nomes postos estão o de Gladstone Heronildes, Herbert Mota (foto), Paulo Roberto Leão Júnior e Sebastião Jales.

O candidato Herbert Mota aponta como o nome forte de Mossoró e região. Com 30 anos de militância na Justiça do Trabalho e um cargo de juiz substituto do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio Grande do Norte no currículo, ele é plenamente apto para substituir o desembargador José Rego Júnior.

*

CAUSA… – O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), anunciou na semana passada a criação de mais 47 areninhas na capital cearense. Atualmente, há 30 em funcionamento pelos bairros da cidade. Como o nome sugere, são pequenas quadras poliesportivas voltadas para os jovens, a fim de tirá-los da ociosidade.

Além de ocupar os jovens com esportes, as areninhas também geram emprego e movimentam o comércio, vez que em quase todas há lanchonetes e afins em seu entorno. É a modernização dos antigos campinhos de futebol de bairro.

Louvável a iniciativa. A ocupação dos adolescentes e jovens é uma forma de matar a violência no seu nascedouro.

*

… E EFEITO – Fortaleza (CE) registrou 53 homicídios em junho, contra 121 homicídios no mesmo período do ano passado. Redução de 56,2%.

*

BRIGA INTERNA – Os grupos direitistas Movimento Brasil Livre (MBL) e Direita SP entraram em rota de colisão nas manifestações ocorridas no último domingo. A rusga começou quando o MBL não quis participar das manifestações do dia 26 de maio, que também foram a favor do governo federal. Na oportunidade, o MBL alegou que não concordava com as motivações dos organizadores, especialmente na demonização do Congresso Nacional e do desejo de fechamento do STF. Essa discordância gerou acalorados debates nas redes sociais entre os grupos direitistas.

Quando integrantes do MBL apareceram nas manifestações de domingo, na Avenida Paulista, foram hostilizados por outros grupos, especialmente o Direita SP. O tempo esquentou.

No outro dia, a imprensa procurou os dois líderes dos movimentos. Pelo MBL, o vereador paulista Fernando Holiday disse que eles não apoiam pessoas, mas projetos, que quer distância de quem apoia Jair Bolsonaro cegamente, sem fazer autocrítica, que quer evitar quem não admite discordâncias.

Pelo Movimento Direita SP, o presidente Edson Salomão disse que o MBL é esquizofrênico e oportunista, e que eles não apoiarem Bolsonaro é uma canhalice.

Ambos deram entrevistas para o podcast Estadão Notícias, edição da última terça-feira (02).

*

NOVA TEMPORADA – Estreou ontem, na TV Record, a 5ª temporada de Dancing Brasil, reality show apresentado por Xuxa Meneghel e seu namorado, Junno Andrade. No programa, várias celebridades de segundo e terceiro escalão concorrem a um prêmio final de R$ 500 mil. A atração vai ao ar todas as quartas-feiras, 22h45, ao vivo.

*

VIDA – Certo dia, numa roda de conversa, quando alta noite já se ia, uma pessoa me perguntou o que era a vida. Eu olhei vago para o céu, respirei fundo, pus a mão no ombro dela, e sapequei: “É um sistema químico autossustentável capaz de passar por seleção darwiniana”, pelo menos é isso o que a Nasa diz.

*

VERBA – A Caixa Econômica Federal (CEF) vai liberar linha de crédito de R$ 3,5 bilhões para as Santas Casas de Misericórdia e outros hospitais filantrópicos. Os valores deverão ser utilizados para qualificar os atendimentos (?) e reestruturação de dívidas bancárias.

*

SÓ LEMBRANDO – O Brasil ocupa a 79ª posição no ranking 2018 de Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), compilação da ONU que engloba os 189 países membros. Estamos piores na fita do que países como Irã (60), Trindade e Tobago (69), Cuba (73) e Venezuela (78).

A Noruega encabeça a lista, já a inglória última colocação é da Nigéria.

*

SUGESTÕES/CRÍTICAS – Esta coluna é atualizada às sextas-feiras, sempre às 04h59. Sugestões e críticas podem ser enviadas para o número 99648-2588 (WhatsApp).

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome