Novo acordão entre os caciques potiguares? Isso só pode ser brincadeira.

1

No início da semana correu nas redes sociais a notícia de que um novo acordão foi celebrado entre os caciques da política potiguar.

Pelo trato, o prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PDT), seria o candidato a governador; a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini (PP), indicaria o vice, que inclusive poderia ser ela mesma; e os senadores Garibaldi Filho (PMDB) e José Agripino (DEM) fariam a dobradinha para a reeleição.

Eu enquadraria essa notícia na seara do humor.

Carlos Eduardo é o Dória potiguar. Começou bem avaliado e como promessa, mas vem caindo em velocidade de toboágua. A Rosa de Mossoró só o povo de Mossoró ainda a elege, e por tal razão somos até motivo de risos incontidos em muitos recônditos do Estado. Fora de nossos limites ninguém cai mais nessa conversinha de “fez, faz e sabe fazer”. Alhures, todos já perceberam que ela não fez, não faz e não fará.

Garibaldi Filho (PMDB) e José Agripino (DEM) deveriam ter o gesto de hombridade de sair da política e nunca mais aparecer, como o fez Geraldo Melo. Deveriam se abraçar numa cauda de cometa e sumir até mesmo do Sistema Solar. Eles representam tudo aquilo que vai de encontro aos anseios da população: fisiologismo, empreguismo, envolvimento em casos de corrupção, toma lá dá cá etc. A velha política que ninguém suporta mais e que todos querem que seja varrida dos nossos gabinetes.

O Rio Grande do Norte não merece mais ser massacrado por estes políticos que só pensam em se perpetuar no poder, que não se importam com a coletividade. Xô, “honoráveis bandidos”.

Uma overdose de mitologia nórdica em duas produções

0

Ontem, fui ao cinema assistir à Thor: Ragnarok, um filme eletrizante, com muitos personagens da Marvel, repleto de efeitos especiais e muita ação, além de um roteiro de fácil compreensão. Um filme que te prende do início ao fim. Detalhe para as várias falas cômicas dos personagens, o que contribui para dar uma quebrada em meio a tantas cenas de brigas, guerras etc. Boa pedida para o feriado.

Ao chegar em casa, comecei a assistir a série Viking, uma sugestão do amigo Bruno Barreto. Assim como em Thor, a série também tem elementos da mitologia nórdica, com todos aqueles deuses comandados por Odin e tendo a Valhala como destino dos guerreiros que morrem em conflitos.

Em duas sentadas assisti aos nove episódios da primeira temporada. Hoje já assisti aos dois primeiros da segunda e daqui a pouco continuarei a maratona. Uma overdose de mitologia nórdica nas últimas horas.

A série Viking, que já está na quarta temporada, está disponível na plataforma Netflix. Trata das invasões e disputas por terras ocorridas na Europa no Século 08.

Pílulas…pílulas…pílulas…(14nov)

0

Ainda hoje pela manhã o caminhão de mudanças estacionará em frente ao Fórum da Comarca de Governador Dix-sept Rosado. É a concretização da agregação da comarca pela de Mossoró, prevista na Resolução nº 33/2017, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. Todos os processos e móveis da comarca serão levados para o fórum de Mossoró.

Para continuar sendo comarca, deveria haver um número mínimo de 439 processos novos por ano, na média dos três últimos anos. Em Governador, esse número foi de 419, ou seja, a comarca será agregada por causa de 20 processos novos por ano, menos de dois por mês.

Quem mais sofrerá com a agregação será a população dix-septiense, que deverá se deslocar aproximadamente 80km, em alguns casos, para chegar ao fórum, uma tarefa muito difícil, especialmente por inexistir linha oficial de transporte público entre as duas cidades. Governador é sexta maior cidade do estado em extensão territorial.

Até o fim da semana a mudança deverá ser concluída. O clima entre os servidores é de velório, afinal, a maioria está ali há mais de dez anos. São pessoas que vinham dedicando suas vidas profissionais ao povo dix-septiense, não medindo esforços para oferecer um excelente trabalho aos jurisdicionados. Ficará apenas a lembrança.

*

O Blog do Barreto, assinado pelo jornalista Bruno Barreto, voltará a ser atualizado a partir de hoje. A última postagem havia sido feita no dia 24 de abril último, quando o jornalista escreveu que daria um tempo. Pois é, o tempo foi dado. Bruno volta com um post especial sobre os dez anos da Operação Sal Grosso, que teve como foco a Câmara Municipal de Mossoró.

Neste retorno, o blog será mais analítico. Não existirá mais a preocupação primordial de dar “furos jornalísticos”. Barreto se dedicará mais a analisar os fatos ocorridos em Mossoró e região, algo que ele já vem fazendo ultimamente no Facebook, com bastante êxito. Daqui, desejamos sucesso ao amigo Bruno Barreto.

*

A Itália está fora da Copa do Mundo da Rússia. Ontem, a azzurra, jogando em seus domínios, empatou em 0 x 0 com a Suécia, em partida válida pela repescagem das eliminatórias. No jogo de ida havia perdido por 1 x 0. Não teremos então a presença de Buffon, considerado o melhor goleiro do mundo da atualidade, e que iria disputar sua sexta Copa do Mundo.

A Itália agora se juntará à Holanda, outro gigante europeu que não conseguiu se classificar para o mundial. Neste caso, ficaremos sem a presença de Robben, um dos melhores laterais da atualidade.

*

O blog do jornalista Carlos Santos vem postando, nos últimos dias, uma série de matérias sobre o exagerado número de cargos em comissão no âmbito da prefeitura municipal. No início da gestão, a prefeita Rosalba Ciarlini prometeu reduzir à metade o número de comissionados. Desta forma, só deveria ter nomeado até 351 apaniguados, vez que há 702 cargos em comissão previstos no organograma do município.

Atualmente, pelas contagens deste blog com base em dados oficiais, há 555 cargos comissionados na estrutura da administração municipal. Um número desarrazoado e que não pode ser justificado de forma racional.

O ex-reitor da Ufersa, professor Josivan Barbosa, que já foi secretário municipal de Planejamento, disse ao blog do jornalista Carlos Santos que a administração municipal conseguiria funcionar normalmente com 250 cargos comissionados.

De fato, todos veem que o atual número, 555, é um excesso injustificado. O Ministério Público também já atentou para o exagero e vem tomando medidas, inicialmente de forma consensual, para que o número seja reduzido. Uma possível persistência da prefeita em manter seu extenso cabide de empregos poderá lhe trazer dissabores junto aos órgãos de fiscalização e controle da administração pública.

*

A música tema da Festa de Santa Luzia deste ano será da banda Demônios da Garoa. De fato, a tradicional banda de samba tem uma música muito bonita intitulada Santa Luzia, mas não deixa de ser curioso que a música tema de uma festa religiosa seja de uma banda chamada DEMÔNIOS da Garoa.

Atualização: Prefeitura de Mossoró já tem 555 cargos comissionados.

3

O blog do Tio Colorau havia somado os cargos comissionados até o último dia 30 de junho, mais precisamente até o Jornal Oficial do Município (JOM) nº 414. Na oportunidade, o total era de 531, incluindo os cargos de secretário.

Atendendo a diversos pedidos, o blog atualizou a contagem até o último JOM, o 432-B, datado de 08 de novembro. Assim, temos o número real e atualizado de cargos comissionados, tudo devidamente comprovado e arquivado.

Nestes quatro meses e alguns dias foram publicadas várias exonerações e nomeações, mas de forma espaçada. Nenhum JOM, do dia 30 de junho pra cá, se destaca pela quantidade de exonerações ou nomeações.

Pela atual contagem, o número de cargos comissionados subiu para 555, incluindo os secretários. Houve um saldo de 24 cargos comissionados.

Os números mostram que a atual prefeita, Rosalba Ciarlini, não cumpriu sua promessa de reduzir à metade o número de cargos comissionados. Para cumprir sua palavra, ela não poderia ter excedido os 300 cargos comissionados.

Segue abaixo a lista dos nomeados do dia 07 de julho até o dia 25 de outubro.

OBS. As edições omitidas não trouxeram nem exonerações e nem nomeações.

JOM – 415 – 07/07

513 – EDNALVA SOARES DE SOUSA, Fazenda.

JOM – 415-A – 12/07

514 – KARLA TATIANA SOARES DE OLIVEIRA, Cultura;

515 – LAURIANA FERNANDES DE MEDEIROS, Educação;

516 – MARGARETH REJANE DA SILVA PEREIRA, Educação; e

517 – RAFHAELA CRISTINA ANDRADE DE ARAÚKO, Meio Ambiente.

OBS. Neste JOM foram publicadas QUATRO exonerações.

JOM – 416 – 14/07

514 – HELITO HONORATO CARNEIRO DOS SANTOS, Educação;

515 – ANTONIO CELSO DE AZEVEDO DA SILVA, Educação;

516 – EDER BEZERRA DE MEDEIROS, Agricultura;

517 – RAFAEL GONDIM FERREIRA, Infraestrutura;

518 – FRANCISCO SILVIO MENDONÇA, Saúde;

519 – QUEILA MIRIAN DOS SANTOS GONÇALVES, Saúde;

520 – SAMARA KARLA NOGUEIRA SILVA, Saúde; e

521 – JEREMIAS SOARES DO COUTO NETO, Desenvolvimento Econômico.

OBS. Neste JOM foram publicadas DUAS exonerações.

JOM – 417-A – 25/07

520 – VANDER DA SILVA MEDEIROS, Educação.

  JOM – 419 – 04/08

521 – FRANCISCO CANINDE DE MEDEIROS MORAIS, Educação.

OBS. Neste JOM foram publicadas DUAS exonerações.

JOM – 420-A – 11/08

519 – JOSY LENY DANTAS MAIA, Vice-prefeitura; e

520 – KAREN AQUINO COSTA, Vice-prefeitura.

OBS. Neste JOM foram publicadas DUAS exonerações.

JOM – 421 – 18/08

519 – SÔNIA KELLY FERNANDES SILVA, Gabinete da Prefeita.

OBS. Neste JOM foi publicada UMA exoneração.

JOM – 421-A – 21/08

519 – JOSENILDE MARIA DE SOUZA MARQUES, Saúde; e

520 – EDILMA PINHEIRO FERREIRA, Saúde.

JOM – 422 – 25/08

521 – JÚLIO CÉSAR DE SOUZA SOARES, Procuradoria;

522 – CID BATISTA DOS SANTOS, Infraestrutura;

523 – EDMIRAY BEZERRA NÓBREGA, Procuradoria;

524 – MARCIA ARAÚJO GRILO, Controladoria;

525 – HERMESON DE SOUZA PINHEIRO, Procuradoria;

526 – FERNANDO RAFAEL FERREIRA DA SILVA, Gabinete da Prefeita;

527 – FRANCISCO DIASSIS FERNANDES DO NASCIMENTO, Educação; e

528 – LUIZ CARLOS RODRIGUES DE LIMA, Meio Ambiente.

OBS. Neste JOM foram publicadas TRÊS exonerações.

JOM – 423-B – 06/09

526 – LAURA LÍVIA LOPES VELOSO, Procuradoria.

JOM – 424-B – 12/09

527 – MARCIA MARISE LOPES MARINHO, Saúde;

528 – LEONARDO RODRIGUES TORRES, Saúde;

529 – AUGUSTO CARLOS TORRES, Saúde;

530 – ÍCARO CHRISTIAN FERREIRA DE MELO, Saúde;

531 – LAURA CRISTINA PAULA AMORIM, Saúde;

532 – GLEDSON ANTONIO DIAS DE OLIVEIRA, Saúde; e

533 – AMANDA CRISTIAN DE ARAUJO FERREIRA, Saúde.

OBS. Neste JOM foram publicadas TRÊS exonerações.

JOM – 425 – 15/09

531 – MARIANE RAQUEL DE OLIVEIRA MAIA, Saúde;

532 – ALISSON LEONARDO RODRIGUES ALVES, Saúde;

533 – MARIA LAÉDINA DE BRITO, Saúde;

534 – JOSÉ FLAVIO BEZERRA DE FRANÇA FILHO, Saúde;

535 – JÉSSICA RAIANE BEZERRA DE MORAIS, Saúde;

536 – ERIKA KATARINE DE MOURA NAKATU, Saúde; e

537 – TÁSIA SIMONE DE BRITO DANTAS, Gabinete da Prefeita.

 JOM – 427 – 29/09

OBS. Neste JOM foi publicada UMA exoneração.

JOM – 430-A – 23/10

537 – JAIR MONTE DA SILVA FILHO, Serviços Urbanos; e

538 – FABRICIO EMERSON BORGES MORAIS, Infraestrutura.

OBS. Neste JOM foram publicadas DUAS exonerações

JOM – 430-B – 25/10

537 – MARIA NAZARENA CORDEIRO, Desenvolvimento Econômico.

OBS. Neste JOM foi publicada UMA exoneração.

JOM – 432-A – 06/11

OBS. Neste JOM foi publicada UMA exoneração.

NOTA – Somados os 19 secretários, o número de cargos comissionados chega a 555 (quinhentos e cinquenta e cinco).

CNJ mantém agregação da Comarca de Afonso Bezerra

0

Em decisão datada de hoje, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) manteve a agregação da comarca de Afonso Bezerra à Comarca de Angicos.

Na decisão, o relator aduziu que a comarca de Afonso Bezerra não atingiu a marca de 50% da média trienal de processos novos, que é de 878, o que não só permite, como obriga, o TJ-RN a promover a sua agregação.

Nos últimos três anos, a média de processos novos na comarca de Afonso Bezerra foi de 296, o que corresponde a 33,71% da média de 878, acima informada, ficando, assim, abaixo dos 50% previstos na Resolução nº 184/2013, do CNJ.

Ainda na decisão, o relator informou que a comarca de Afonso Bezerra deverá ser desagregada caso o número de novos processos ultrapasse os 50% da média estadual, ou seja, a agregação não é definitiva.

Ref.: PCA nº 0007746-50.2017.2.00.0000

Leia a decisão abaixo:

Em análise ao pedido de medida cautelar formulado pelo Município Requerente, o mesmo foi deferido (id 2288433), com fundamento na teoria dos motivos determinantes, considerando que os números informados inicialmente pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte (id 2282469), no que toca à média estadual de processos novos do último triênio (439), não justificavam o enquadramento da comarca de Afonso Bezerra ao quanto disposto na Resolução nº 184/2013, deste CNJ.

Irresignado, o Tribunal apresentou Recurso Administrativo com pedido de reconsideração, aduzindo, em suma, que, ao ser concedida a liminar, foi adotada como premissa exclusiva o fato de que a média de processos novos no último triênio da comarca de Afonso Bezerra (296) teria atingido 67,4% da média de processos novos no mesmo período daquela justiça estadual (439).

No entanto, esclareceu que houve erro material nas suas informações iniciais e que a média estadual de processos novos do último triênio, em verdade, foi de 878 – e não de 439, como houvera informado – concluindo-se que a comarca em questão apresentou média de processos novos correspondente a 33,71%, inferior, portanto, aos 50% previstos na Resolução 184, deste CNJ, como condição para a medida de agregação de comarcas.

Após reafirmar os argumentos iniciais apresentados nas suas informações, requereu a reconsideração da liminar, com fundamento no art. 115 do Regimento Interno do CNJ.

Por prudência, antes de apreciar o pedido de reconsideração, foi determinada a intimação do Município de Afonso Bezerra para, querendo, se manifestar acerca dos novos números apresentados pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. O Município, dentro do prazo assinalado, apresentou contrarrazões ao recurso administrativo interposto (Id 2295583).

É o Relatório. Decido.

Diante da nova informação trazida pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte no sentido de que a média anual de processos novos daquela justiça estadual do último triênio teria sido de 878 (oitocentos e setenta e oito) – e não de 439 (quatrocentos e trinta e nove) como antes informado -, devidamente comprovado com a anexa certidão subscrita pela M.D. Secretária de Gestão Estratégica daquele Tribunal, assiste razão à Corte quando afirma que a comarca de Afonso Bezerra pode ser enquadrada na hipótese prevista pela Resolução 184, deste CNJ.

Com efeito, prevê a referida norma que:

Art. 9º Os tribunais devem adotar providências necessárias para extinção, transformação ou transferência de unidades judiciárias e/ou comarcas com distribuição processual inferior a 50% da média de casos novos por magistrado do respectivo tribunal, no último triênio.”

Pelos novos números informados pelo Tribunal, percebe-se que a média anual de processos novos da comarca de Afonso Bezerra alcança o percentual de 33,71% em relação à média estadual no mesmo período.

Inquestionável, portanto, o enquadramento do caso ao quanto disposto na referida Resolução deste CNJ.

Diante disso, resta o tribunal vinculado ao comando normativo, que, não somente permite como, antes, impõe a adoção das providências de agregação. Trata-se de ato vinculado e não discricionário.

O Município Requerente, em sua peça exordial, argumentou que serão construídas 02 (duas) novas penitenciárias estaduais em seu território, o que importará no aumento substancial de processos que estarão sob sua jurisdição, com consequente superação do percentual de 50% aludido pela Resolução 184/2013, deste CNJ.

Nesse ponto, vale asseverar que a medida de agregação das comarcas não se confunde com a sua extinção, o que só seria possível através de lei. Ao revés, o seu próprio fundamento de validade, qual seja, a Resolução deste CNJ, deixa claro tratar-se de medida temporária e sujeita a uma condição resolutiva clara: perdurará até o momento em que o percentual de 50% da média de processos novos for atingido, quando impor-se-á, também de forma vinculada, a medida de desagregação.

Caso se confirme, portanto, nos próximos anos, o incremento de processos no importe previsto pelo Município de Afonso Bezerra, em decorrência das novas Penitenciárias, nada impedirá (antes disso, impor-se-á) que o tribunal se lhe restabeleça o status de comarca.

Traduzindo em dados objetivos o que vem de ser dito, tomando-se como referência o número informado de 878 processos como média de processos novos da justiça estadual do Rio Grande do Norte no último triênio, e admitindo, por hipótese, que este número se mantenha inalterado nos próximos anos, no momento em que a média de processos novos de Afonso Bezerra alcançar o número de 439, restará superado o percentual de 50% aludido pela Resolução do CNJ e deverá o Tribunal de Justiça do Estado, incontinenti, promover à desagregação da respectiva comarca.

Quanto aos demais argumentos do Município Requerente, mostra-se compreensível a defesa enfática que faz da sua manutenção como comarca autônoma, com a referência à sua atividade econômica, suas características naturais, quantidade de processos em andamento, tempo de existência da comarca, população do Município, bem como as dificuldades de acesso à justiça que advirão da medida de desagregação.

Tais fatores, ao seu ver, justificam a manutenção da comarca, o que, sem dúvida, representaria o cenário ideal aos interesses do Município.

Todavia, é sabido que a situação atual do Poder Judiciário brasileiro se apresenta distante do ideal no que toca à disponibilidade orçamentária, impondo-se, em busca da eficiência operacional e presteza administrativa, medidas de otimização dos recursos humanos e financeiros disponíveis.

Tais as razões que levaram este Conselho Nacional de Justiça a editar a Resolução nº 184/2013, que, dentre outras medidas, determinou aos Tribunais a execução de providências que conduzissem à extinção, transformação ou transferência de unidades judiciária e/ou comarcas nas condições ali fixadas.

O que se pretendeu foi, por óbvio, otimizar recursos orçamentários, bem assim facilitar a boa administração do Poder Judiciário por cada Tribunal, em consagração, diga-se de passagem, à autonomia administrativa que cada órgão de justiça possui.

Nesse contexto, foi editada pelo egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte a Resolução nº 33, prevendo a agregação das Comarcas daquele Estado que não atendam ao percentual previsto na norma deste CNJ.

É sempre oportuna a lembrança do texto maior brasileiro, que permite ao CNJ regulamentar, por meio de Resolução, a matéria:

Art. 103-B. (…)

§ 4º Compete ao Conselho o controle da atuação administrativa e financeira do Poder Judiciário e do cumprimento dos deveres funcionais dos juízes, cabendo-lhe, além de outras atribuições que lhe forem conferidas pelo Estatuto da Magistratura:

I – zelar pela autonomia do Poder Judiciário e pelo cumprimento do Estatuto da Magistratura, podendo expedir atos regulamentares, no âmbito de sua competência, ou recomendar providências; (…)”(grifamos)

Saliente-se uma vez mais que os tribunais possuem autonomia administrativa constitucionalmente assegurada, que lhes permite adotar providências administrativas como as constantes da Resolução nº 33/2013. Veja-se, a respeito, a Constituição Federal:

Art. 99. Ao Poder Judiciário é assegurada autonomia administrativa e financeira.”(grifamos)

Ante o exposto, com base no art. 25, VII, do Regimento Interno deste CNJ, acolho o pedido de reconsideração e REVOGO A MEDIDA LIMINAR antes concedida para restabelecer os efeitos da Resolução nº 33/2017-TJ, de 23 de agosto de 2017, do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, especificamente no que atine à agregação da comarca de AFONSO BEZERRA pela comarca de ANGICOS.

De igual modo, ficam restabelecidos os efeitos da Portaria nº 1436, de 18 de setembro de 2017 (id. 2269436), especificamente o seu art. 1º, V, que alude às providências de agregação da comarca de AFONSO BEZERRA pela comarca de ANGICOS.

No mérito, considerando a incompetência desse Conselho para desfazer atos de tribunais regularmente praticados no exercício de sua autonomia administrativa, bem como as demais razões lançadas, com fundamento no artigo 25, X, do Regimento Interno desse Conselho Nacional de Justiça, julgo IMPROCEDENTE o pedido e determino o arquivamento deste procedimento.

À Secretaria Processual para providências.

Brasília, data registrada em sistema.

Conselheiro André Godinho

Relator

OBS. A comarca de Governador Dix-sept Rosado também está na lista de comarcas a serem agregadas, consoante Resolução nº 33 do TJ-RN. Neste caso, a média de processos novos no último triênio foi de 419, número bem próximo dos 439 que representam 50% da média.

Assim, caso a comarca de Gov. Dix-sept Rosado seja agregada, há chances reais de ser desagregada logo depois.

Índice de homicídios no RN supera os de regiões em guerra

0

São Paulo, outrora um estado considerado violento, sobretudo pelas lembranças de Carandiru e das Febens, registrou, no ano passado, uma taxa de 11 homicídios a cada 100 mil habitantes, a menor do Brasil. Isso mesmo, a menor do Brasil.

No Rio Grande do Norte o índice foi de 56,9 homicídios por 100 mil habitantes, o segundo maior do Nordeste, perdendo apenas para Sergipe, 64/100 mil.

Segundo os organismos internacionais, um índice superior a 40 homicídios a cada 100 mil habitantes já é considerado zona de guerra.

Vê-se assim que nosso Rio Grande do Norte exibe números de guerra quando se trata de homicídios. Para piorar, a Polícia Militar poderá entrar em greve a partir do próximo dia 13. Será um salve-se quem puder.

Rogo a todos que reflitam bem sobre essa situação.

OBS. Os dados trazidos no post são do 11º Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), publicados na edição presente da revista Veja.

Sesc promoverá caminhada com intervenções culturais

0

Estão abertas as inscrições para o Ciclo Sesc em Mossoró. A iniciativa do Sistema Fecomércio, realizada por meio do Serviço Social do Comércio do Rio Grande do Norte (Sesc-RN), une lazer, atividade física e turismo. As inscrições podem ser feitas até o dia do evento ou enquanto houver vaga na central de relacionamento do Sesc Mossoró. A caminhada acontece dia 12 de novembro, com largada marcada para as 16h em frente à unidade.

Mossoró será a terceira e última cidade este ano a receber o Ciclo Sesc. Em outubro, o passeio foi realizado em Caicó, Macaíba e Natal, reunindo mais de 1.300 pessoas. Serão visitados pontos como o Memorial da Resistência e a Estação das Artes Eliseu Ventania. A inscrição será concluída mediante a doação de 2 kgs de alimentos não perecíveis, os quais serão destinados à instituições filantrópicas assistidas pelo Mesa Brasil, programa do Sesc que combate a fome e o desperdício de alimentos.

O percurso será marcado por intervenções culturais e contará com um guia para explicar as histórias dos lugares visitados. Os primeiros inscritos terão direito a camiseta e boné, e os participantes terão suporte de socorristas, distribuição de água mineral e kit frutas.

Sobre o Ciclo Sesc – O Ciclo Sesc é mais uma ação do Sesc para estimular a prática de esportes em busca de uma melhor qualidade de vida. Em 2016, o projeto assumiu um novo formato: uma caminhada cujo percurso envolve os principais pontos históricos das cidades.

Além de agregar turismo ao projeto, a mudança também possibilita que um público mais amplo possa participar.

Verão das Antigas, quem não vai se arrepende.

0

Começa na semana que vem a venda de ingressos para o Verão das Antigas, evento já tradicional que ocorre todos os anos no município de Tibau-RN. A proposta dos organizadores sempre foi trazer bandas que façam relembrar os bons veraneios dos anos 80 e 90, quando o axé era o ritmo que embalava a juventude. Atinge assim um público mais maduro, onde todos se conhecem. O evento se transforma num grande festival de reencontros.

Márcia Freire, Ricardo Chaves e Luiz Caldas já abrilhantaram o Verão das Antigas em edições pretéritas. Neste ano, os organizadores decidiram fazer um evento 3 em 1, reunindo três artistas que embalaram a Bahia e o Brasil com seus hits:

Tatau – Cantor e compositor, fez sucesso à frente da banda Araketu, cantando clássicos do axé como “Mal Acostumado”, “Araketu é Bom Demais”, “Festa na Cidade” e “Pipoca”. Além disso, compôs músicas para É o Tchan, Chiclete com Banana, Sorriso Maroto, entre outras;

Reinaldo – Quem não se lembra dos sucessos “Liberar Geral”, “Tô Fraco” e “Carrinho de Mão” eternizados na voz de Reinaldo, do grupo Terra Samba? Nos anos 90, ele era uma das principais referências do axé não só na Bahia, mas em todo o país. Junto ao grupo, o artista vendeu mais de três milhões de discos e recebeu diversos prêmios ao longo da carreira; e

Ninha – Descoberto por Carlinhos Brown, Ninha cantou no Timbalada por muitos anos. Conhecido como o “Gogó de Ouro da Bahia”, era o responsável pelo bordão: “Zorra… zorra, zorra, zorra”. A Timbalada emplacou vários sucessos, entre os quais Água Mineral, A Latinha, Mimar Você e Beija-Flor.

As atrações, o ambiente e a possibilidade para rever amigos tornam o Verão das Antigas imperdível, daquelas festas onde quem não vai se arrepende.

A festa ocorrerá no dia 05 de janeiro, no Clube Álibi. Primeiro lote, com preço promocional, já à venda na loja Bransk.

6ª edição da corrida Fenae do Pessoal da Caixa será realizada no próximo sábado, 28.

0

Mossoró vai receber a 6ª edição da Corrida Fenae do Pessoal da Caixa, promovida pela Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal do RN (Apcef/RN). O evento será nesse sábado, dia 28 de outubro, com concentração às 16h e largada às 16h20 na UFERSA.

Neste ano há uma grande novidade no percurso, que será realizado totalmente dentro do Campus da UFERSA, com 5 km de Corrida e 2,5 Km de Caminhada. As inscrições podem ser feitas na Apcef Mossoró (3312-1920), na Doce Salgados (3321-7870) e na Dinâmica Sports (3321-3414), ao valor de R$ 45,00.

Outras informações podem ser obtidas com a Jogando Sportes, que organiza a corrida em parceria com a Apcef/RN, através do telefone e WhatsApp 84 99632-0381.

Categorias:

     Geral Masculino;

    Geral Feminino;

    Masculino do Pessoal da Caixa;

    Feminino do Pessoal da Caixa;

  Master Masculino Geral – a partir de 45 anos;

Master Feminino Geral – a partir de 45 anos;

  Master Masculino Caixa – a partir de 45 anos; e

  Master Feminino Caixa – a partir de 45 anos.

Pílulas…pílulas…pílulas…(25out)

0

A Câmara dos Deputados deverá decidir hoje acerca da nova denúncia em desfavor do presidente Michel Temer, desta feita por obstrução de justiça e organização criminosa. Como ocorreu na primeira votação, Temer deverá se safar da investigação. Para a suspensão do processo, o presidente precisa de 172 deputados. Pelas contas, ele já comprou bem mais do que isso.

A única tática da oposição é tentar esvaziar a Câmara, para que o quórum mínimo não seja alcançado e então a votação só ocorra na semana que vem. Assim, o presidente ainda passaria uma semana “sangrando”.

Não vejo essa tática como acertada. Uma semana a mais de negociações e o presidente vende até a floresta amazônica para a bancada ruralista poder devastar por completo. E este é o grande problema: as negociações entre o presidente e os deputados venais só sobram para o lombo dos brasileiros comuns.

O presidente Michel Temer está se aproveitando da hipnose de grande parte do povo brasileiro, que só pensa contra o PT, para abusar dos crimes contra a administração pública, diminuir direitos dos trabalhadores, reduzir despesas em áreas sociais, privatizar empresas estatais etc., tudo sob o olhar passivo da população, que parece não se importar de ser roubada, desde que o ladrão não seja o PT.

*

Ainda sobre a votação de hoje, esta servirá para ver se o presidente terá fôlego para aprovar as reformas previdenciária e tributária, as quais precisam de um quórum maior, por mudarem a Constituição Federal. Assim como é certo que o presidente se safará da denúncia de hoje, também é certo que ele não conseguirá aprovar essas duas reformas.

*

Em decisão datada do dia 23 de outubro último, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), através do conselheiro André Godinho, determinou ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte que suspendesse a agregação da comarca de Afonso Bezerra. A decisão foi dentro da ação nº 0007746-50.2017.2.00.0000, proposta pelo município de Afonso Bezerra, tendo como patrono o advogado Thiago Cortez.

Ao ler a decisão, vê-se que há um grave equívoco, o que deverá acarretar sua reformulação. O conselheiro diz que, ao ter uma média de 296 processos novos por ano no último triênio, Afonso Bezerra alcançaria mais de 50% da média geral do estado (439 processos), exigida para que uma comarca não seja agregada.

Na realidade, 439 já é o mínimo necessário, ou seja, 50% da média geral, que é de 878 processos novos. Houve um flagrante equívoco.

*

Quanto à comarca de Governador Dix-sept Rosado, esta alcançou uma média de 419 novos processos por ano, ou seja, apenas 20 abaixo do mínimo necessário, de 439 processos. Dois processos a mais, por mês, já seria suficiente para que ela não fosse agregada.

Ao conversar com a promotora de Justiça da comarca, Joyciara Moraes, sobre os números, ela relatou algo interessante. Disse que nos últimos anos priorizou a resolução de conflitos no âmbito do próprio Ministério Público, não sendo necessário ajuizar demandas, sobretudo nos casos de família. Ou seja, o caráter conciliatório da promotora, tão elogiado no direito atual, findou por prejudicar a comarca. “Se eu soubesse…”, disse a promotora.

*

Os índios cuidavam da natureza? A feijoada foi inventada pelos escravos? O Brasil é o país do futebol? O samba é um ritmo nacional? Tudo isso, e muito mais, não representa a verdade, pelo menos é o que trouxe o livro “Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil”, de Leonardo Narloch.

A publicação já tem bastante tempo, e já falei dela num post antigo. Volto ao assunto, pois o livro se transformou em série, exibida no canal History, todos os sábados, às 20h45 (horário Local). O primeiro episódio foi ao ar no sábado passado. Os entrevistados, todos historiadores renomados, tratam dos assuntos de forma bem didática e divertida. O formato é excelente. Assista, você vai gostar.

*

Hoje tem Fla x Flu no Maracanã. O clássico será o primeiro jogo das quartas-de-final da Copa Sul-americana. O confronto está marcado para as 20h50 (horário local).