ISTOÉ TENTA DESTRUIR IMAGEM DE JANOT. O MOTIVO TODOS SABEMOS.

0

20170612_095259

A IstoÉ dessa semana se propõe a destruir o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

A extensa matéria de capa diz, em apertada síntese, que Janot gosta de aparecer, que suas denúncias são frágeis, que trava uma luta pessoal contra Temer e os opositores do PT, que é criticado pelos seus próprios pares e patati-patatá.

Pegou pesado. Isso porque Janot deverá oferecer durante a semana uma denúncia contra o presidente Temer,  por formação de quadrilha, corrupção e obstrução da Justiça.

A IstoÉ, de uns tempos pra cá, elevou Michel Temer a Deus. A revista se comporta conforme as regras de um cachorro em relação ao seu dono: “mexeu com ele mexeu comigo”.

Mas o alívio virá em breve: em setembro Janot deixará a procuradoria geral de Justiça, e em seu lugar entrará alguém indicado pelo presidente Temer. O mar voltará a ser manso.

BOXEADOR ACUSADO DE ESTUPRO NAS OLIMPÍADAS É ABSOLVIDO

0

20170611_193924

Nas olimpíadas do Rio de Janeiro, no ano passado, o boxeador marroquino Hassan Saada foi acusado de estupro por duas camareiras da Vila Olímpica.

Em razão da acusação o atleta foi levado à delegacia, teve o passaporte recolhido e foi afastado da maior competição esportiva do mundo.

Na semana passada a Justiça Criminal do Rio de Janeiro deu o veredicto final: Hassan não estuprou ninguém.

Os depoimentos das camareiras eram repletos de contradições. Uma delas, inclusive, sumiu do mapa durante o transcorrer do processo.

Na versão do boxeador, ele apenas propôs uma saída a três. Não passou disso. Queria apenas um “ménage à trois”.

E agora, quem vai arcar com os inúmeros prejuízos causados ao atleta?

Eu sempre me policio quando se trata de estupro. É preciso prova robusta pra divulgar que alguém é estuprador, sobretudo por este ser um dos crimes mais repugnados pela sociedade.

PARTIDO SOLIDARIEDADE SE REÚNE EM MOSSORÓ

0

 IMG-20170611-WA0181

Coordenadores do Partido Solidariedade de várias regiões do Rio Grande do Norte se reuniram na manhã de ontem, 10 de junho, no Hotel Thermas, em Mossoró, discutindo os caminhos da política do RN nas eleições de 2018.

O Partido tem representantes em mais de 130 municípios e até o próximo ano quer unificar o discurso para chegar com um projeto forte e viável nas eleições para Governador, Senador, deputado federal e estadual.

A bandeira do partido é estimular um ambiente para melhorar a qualidade do serviço que a máquina pública presta à população e criar infraestrutura para que jovens lideranças possam substituir as velhas estruturas da política tradicional que dominam o Estado há anos.

NOSSA PEQUENA IMPRENSA PARTIDÁRIA E PANFLETÁRIA

2

pinocchio_2.jpg.554x318_q85_cropA imprensa local deveria se espelhar na InterTV Cabugi, que não se furtou de noticiar a larga os fatos envolvendo o ex-deputado Henrique Alves, apesar de ele ser um dos acionistas da empresa.

Em Mossoró, não temos uma imprensa neste nível. Os órgãos são todos panfletários, salvo poucas exceções.

O ex-prefeito Francisco José Jr., que não detém nenhum órgão de comunicação de massa, tinha suas ações duramente criticadas pelos rádios e jornais locais. Diariamente alisavam o lombo do ex-prefeito com um ralador de inox. Tudo que ele fazia era ilegal, imoral ou engordava. O que acontecia de ruim no município a culpa era de quem? Dele, Francisco José Jr.

Uma militância alimentada pelo então grupo opositor utilizava as redes sociais de forma voraz e ininterrupta para atacar qualquer passo dado pelo ex-prefeito. Intitulavam-se “Os pitbulls”.

A cobertura – por parte da imprensa e dos pitbulls – da administração municipal mudou espantosamente do ano passado para este.

A atual prefeita, Rosalba Ciarlini, vem praticando ações exatamente iguais as que foram praticadas pelo gestor passado. No entanto, quem fazia críticas severas a Francisco José Jr., hoje silencia em relação à gestão atual. Há ainda os mais exaltados, que defendem o que antes criticavam forazmente. É muita volatilidade.

Quando tal procedimento parte dos apaixonados e dos apaniguados, é até possível entender e aceitar; mas é inadmissível que um órgão de imprensa se preste a este papel. Isso fere de morte a credibilidade. Por isso também que muitos órgãos de imprensa estão cerrando as portas, ou então são mencionados a título de chacota nas rodas de conversas.

Será que algum dia nossa imprensa deixará de ser panfletária e partidária para ser minimamente séria?

E PENSAR QUE UM DIA O POVO “FALOU” POR ELE*

0

*Por Bruno Barreto

O ano é 1998. Henrique Alves enfrentava graves problemas vocais e estava impedido de falar após se submeter a um tratamento no exterior.
Como fazer um candidato ser reeleito sem proferir um único discurso? Nada que um marketing não resolva. O slogan era tão óbvio quanto o peso de uma máquina azeitada graças à venda da Cosern no final do primeiro governo Garibaldi Filho: “O povo fala por ele”.
Não deu outra!
Henrique Alves foi o deputado federal mais votado com 163.572 sufrágios, 60 mil a mais que o segundo colocado Iberê Ferreira de Souza. A força monetária fez o povo colocar no Congresso Nacional pela oitava vez um político que nunca falou por ele. Muito pelo contrário, era famoso por ser o deputado “Copa do Mundo”.
O agora detento Henrique Alves teve uma carreira política de altos e baixos. Depois de 1998 foi eleito mais três vezes se tornando um recordista de passagens pela Câmara dos Deputados com 11 mandatos.
Em 1988 e 1992 perdeu a Prefeitura de Natal. Na primeira dispunha das máquinas municipal, estadual e federal, mas acabou perdendo para Wilma que na época ainda usava o sobrenome Maia. Quatro anos depois saiu da condição de favorito pela estrutura e ausência de adversários fortes para a de derrotado por incríveis 961 votos para um desconhecido Aldo Tinôco.
Mas o sonho de Henrique era ser governador do Estado. As condições para isso só surgiram após se tornar presidente da Câmara dos Deputados, sentar interinamente na cadeira de presidente da República e juntar muita grana. Ele já havia se engraçado com o cargo em 2002, mas deu um passo maior para ser vice na chapa de José Serra (PSDB) e terminou tombando após Mônica Azambuja emergir da condição de esposa traída para a de delatora. Uma capa de Revista escancarando uma conta secreta fez Henrique às pressas, e com voz, ser eleito deputado mais uma vez.
Para ser governador Henrique juntou gatos, cachorros e ratos (verdadeiras ratazanas) em seu palanque. O roteiro era perfeito: o único adversário, Robinson Faria, por pouco não esteve no palanque dele e montou uma frágil aliança com o PT. Aliança que provocava escárnio dos adversários saiu das anedotas ao êxito nas urnas.
Graças ao apoio de Henrique Alves que, segundo Ministério Público e Polícia Federal, bancou várias candidaturas com doações oficiais e caixa dois a propina abasteceu várias campanhas no violentado elefante.
Só na base henriquista foram eleitos 18 estaduais das 24 vagas em jogo e mais seis federais das oito cadeiras disponíveis ao Rio Grande do Norte.
Nunca um político uniu tantos desafetos em um palanque. Nunca um político teve tanto apoio numa campanha. Mesmo assim ele perdeu o pleito porque o povo não quis.
Henrique hoje está preso para vergonha de um Estado que ele diz ter representado, mas na verdade nunca deu a mínima.
Pensar que um dia o povo “falou” por ele…

NOTA DO TIO – Muito bem traçado o perfil político do ex-deputado federal Henrique Alves, e para nossa tristeza os demais políticos tradicionais do estado têm perfil semelhante. Nunca me canso de dizer: Rio Grande sem sorte. O povo precisa despertar para um novo horizonte, dar uma arejada, mudar. Não dá mais pra sermos governados por esses dinossauros.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA PARA QUEM PRECISA

1

Em muitos países do mundo desenvolvido, o idoso passa a receber bem menos da previdência pública ao se aposentar: Suécia (50%), Alemanha (38%) e França (56%), por exemplo.

Na nossa Ilha de Vera Cruz o idoso, na maioria das vezes, passa a receber, ao se aposentar, 100% do que ganhava quando estava na ativa, às vezes até mais.

Apesar disso, os idosos vivem bem melhor na Alemanha, na França e na Suécia do que no Brasil. Por quê?

A resposta tem a ver com “fundos de pensão”. Em países sérios e desenvolvidos, os trabalhadores costumam pagar previdências privadas, a fim de complementarem suas aposentadorias.

Assim, o dinheiro que sobra na previdência pública os governos investem em obras e serviços que beneficiam os aposentados por isso eles vivem bem melhor, apesar de receberem menos.

No Brasil isso não dá certo, pois ninguém acredita que nossos gestores irão investir dinheiro excedente em melhorias para a população. Nosso país é corroído pela corrupção. Políticos só pensam no próprio umbigo.

Não precisamos de outra reforma da Previdência, precisamos incentivar a previdência privada e também de políticos capazes de agir em prol da sociedade, caso tenham dinheiro em caixa.

HENRIQUE ALVES É PRESO POR DESVIO NAS OBRAS DA ARENA DAS DUNAS

2

onatalense-48

O ex-deputado federal Eduardo Alves (PMDB) foi acordado hoje cedo por agentes da Polícia Federal, os quais traziam em mãos um mandado de prisão preventiva em seu desfavor.

A ordem foi assinada pela Justiça Federal do Rio Grande do Norte, com base em investigações sobre desvios de recursos na construção da Arena das Dunas.

A operação é desdobramento das delações dos ex-diretores da Odebrecht.

Também foram expedidos outros mandados de prisão e ainda mandados de condução coercitiva.

Prisão preventiva é aquela sem prazo.

PÍLULAS…PÍLULAS…(05jun)

1

TSE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidirá a partir de amanhã o processo eleitoral que poderá cassar a chapa Dilma/Temer. A ação foi proposta pelo PSDB, após o pleito eleitoral de 2014. Caso a chapa seja cassada, o presidente Michel Temer perderá o cargo. Setores da grande imprensa dão como certo um “pedido de vistas”, a ser feito por um dos sete ministros que compõem o colegiado, o que retardaria a decisão para outro momento.

No âmbito jurídico, a decisão que me parece mais coerente é a cassação da chapa inteira, como acontece rotineiramente; cassar a “cabeça” da chapa e não cassar o vice seria uma decisão atípica, o que demonstraria casuísmo e influência da questão política na decisão. Aguardemos.

*

O Fantástico se transformou numa extensão do Domingão do Faustão. Em ambos, os atores globais ocupam boa parte do programa, e quase sempre “vendendo” as novelas do canal. Se o Fantástico é uma revista eletrônica, como diz o slogan, então ele é a Contigo.

*

Em entrevista concedida ao Blog da Chris, a ex-prefeita Cláudia Regina (DEM) apontou soluções para a diminuição da violência em nossa cidade. A solução, segundo a demista, está na ocupação dos jovens: “O poder público precisa urgentemente criar um Programa direcionado a Juventude, com ações integradas proporcionando arte, cultura, lazer, capacitação e inserção no mercado de trabalho”.

Na ocasião cita a A&C, uma empresa que se instalou na cidade quando ela era prefeita: “Consegui quando gestora em 2013, trazer para Mossoró a A&C, empresa que emprega três mil famílias. Digno de registrar, que de lá pra cá já são quatro anos sem um novo empreendimento na nossa cidade”.

Para ler a entrevista na íntegra acesse o blog da Chris no endereço “blogdachris.com”

*

A RN-117, trecho que liga Mossoró a Governador Dix-sept Rosado, está repleta de mato. Com as últimas chuvas, o mato chesceu e praticamente invadiu a pista, tirando a visão dos motoristas. Numa estrada que já é conhecida pela grande quantidade de animais, uma situação dessas agrava a possibilidade de uma colisão entre um veículo e um jumento, por exemplo. Urge um serviço de retirada dos arbustos.

*

O jurista Luiz Flávio Gomes, que recentemente lançou o livro “O Jogo Sujo da Corrupção”, disse que só se filiará a alguma sigla partidária se esta não tiver político envolvido em casos de corrupção. De cara, eliminou 28 legendas das 35 existentes. E tenho pra mim que no caso das sete restantes o que ocorreu foi falta de oportunidade.

*

Chegamos em junho, e com ele as festas juninas, período em que ocorrem vários acidentes envolvendo fogos de artifício. Segundo dados do Conselho Federal de Medicina, 10 pessoas morrem por ano em decorrência do manuseio inadequado de fogos, e cerca de 500 são internadas com queimaduas, cortes, perda da audição, da visão e amputações. Cuidado redobrado.

JUIZ DE GOVERNADOR PROFERE DECISÃO EM VERSOS

4

20161109_120645-1-1

“Era uma moça meiga que só queria conhecer o pai; queria apenas um abraço, nada demais; em vez disso, encontrou desprezo, descaso; seria filha de outro homem por acaso?”. Os versos fazem parte da sentença em uma ação de reparação financeira por abandono afetivo julgada pelo juiz Evaldo Dantas Segundo (foto) O processo correu na comarca de Governador Dix-Sept Rosado, O pai da autora da ação foi condenado a pagar R$ 50 mil à filha.

De acordo com o magistrado, os versos foram uma forma de chamar a atenção do réu de uma maneira menos científica e mais sentimental. “É uma forma de fazê-lo refletir sobre o que fez e quem sabe correr atrás do tempo perdido, afinal, escrever em um texto puramente jurídico talvez não atingisse tal escopo”, destacou.

A sentença destaca que embora o réu tenha reconhecido formalmente a autora como filha, ele deixou de prestar-lhe assistência material por muitos anos e jamais prestou assistência emocional. Segundo a ação, em virtude do abandono sofrido, a autora sofre com quadro de emagrecimento e diminuição no rendimento escolar, além de outros transtornos psíquicos.

Citado, o réu não contestou a ação e foi decretada revelia. A autora da ação relatou que o contato com o pai, que mora em São Paulo, sempre foi extremamente raro e realizado por intermédio de terceiros. Segundo ela, só teve a oportunidade de abraçar o pai uma única vez, aos 11 anos, e só o encontrou outras duas vezes: para fazer o teste de DNA e na morte da avó paterna.

“A parte autora demonstra extremo abalo emocional em virtude do abandono emocional que sofreu. Afirma se sentir como um objeto, como alguém sem qualquer importância. Percebe-se de maneira visível a destruição psíquica sofrida pela parte autora em virtude do abandono sofrido”, observa o magistrado em decisão.

Na decisão, o magistrado destaca que o dever jurídico que recai sobre os pais é de atenção, de livrar os filhos de qualquer forma de negligência, mas que não se obriga a amar. “Este é um sentimento que deriva muito mais de questões morais, sociais, religiosas, ou mesmo psicossomáticas. O Direito não pode obrigar ninguém a amar outra pessoa, mas o dever jurídico de atenção, de não ser negligente, é juridicamente exigível dos pais”, frisa.

O pai foi condenado a pagar indenização de R$ 50 mil á filha. “Entre a natureza compensatória – pela qual o valor fixado deve compensar o abalo moral sofrido pela vítima sem implicar enriquecimento ilícito a seu favor – e a punitiva – cuja finalidade é, através de uma indenização significativa, dissuadir o agressor de repetir a postura lesiva assumida – prevalece a meu ver, extreme de dúvidas, esta última, considerando-se o princípio da proporcionalidade, a partir do qual cumpre adotar um critério de proporcionalidade na distribuição dos custos do conflito”, resumiu.

O juiz Evaldo Dantas Segundo explica que quis transmitir para a decisão judicial um pouco do sentimento que a parte experimentou ao lhe trazer a causa para julgar. “Muitas vezes, até em virtude do excesso de trabalho, vemos os processos apenas como folhas de papel. Esquecemos que ali as pessoas estão deixando suas maiores angústias, seus sonhos, seus mais desesperadores momentos”.

Confira o dispositivo completo:

Após leitura atenta de todo o processo, passo a recitar em verso o meu veredito:

Era uma moça meiga que só queria conhecer o pai;

Queria apenas um abraço, nada demais;

Em vez disso, encontrou desprezo, descaso;

Seria filha de outro homem por acaso?

Ele é sim o seu pai e deseja amar mesmo não tendo nada em troca;

Mendigando seu amor, a doce menina só teve NÃO como resposta;

Tal menina, antes cheia de amor e esperança, virou mulher;

Guarda em suas memórias e lembranças a tristeza de amar quem não a quer;

Ouvira por toda a vida que o maior amor do mundo é o amor dos pais;

Só queria este amor para sentir, amor de verdade, amor que não trai;

Infelizmente, porém, teve exatamente o oposto;

Teve alguém que a quis ver pelas costas, com desprezo e desgosto;

Fico triste por esta menina, porém, fico mais triste ainda por este homem e sua eterna sina;

Ser pai é o maior presente da vida e disso não posso duvidar;

Mal sabe este homem a benção que a vida lhe deu e está deixando passar;

Perde a maior dádiva de viver, que é dar a vida a alguém e ensinar o que é amar;

Que a justiça não esqueça que o Direito é o equilíbrio, a harmonia;

Este homem não precisaria a menina amar, bastaria lhe ceder um pouco de sua alegria;

Alegria esta que lhe faltará quando sua idade pesar e as rugas do seu rosto ninguém quiser amparar;

As lágrimas lhe correrão pela face e não duvido quase nada de que será aquela moça abandonada que ajudará a secar;

Ante todo o exposto, julgo procedente o pedido para condenar o indivíduo a cinquenta mil reais à autora pagar;

Tal valor será corrigido desde a presente data pelo índice conhecido como IPCA.

Os juros de mora de 1% ao mês serão contados da citação.

Ainda o condeno a pagar 10% de honorários, estes incidentes sobre o valor da condenação;

Custas e despesas pela parte requerida ante a sucumbência percebida;

Publique-se, registre-se e intimem-se as partes para que eventualmente façam constar seus apartes.

FONTE: Portal G1 RN.

NOTA DO TIO – Como servidor da comarca de Governador Dix-sept Rosado, sinto-me orgulhoso de trabalhar com um profissional tão humano, que trata a todos de forma igualitária, que se sensibiliza com os problemas sociais, sempre procurando ajudar. Essa sentença é sua cara.

Evaldo Dantas Segundo é um juiz diferenciado. Guardem seu nome. Este mossoroense, criado nos Paredões, vai fazer história no Judiciário norte rio-grandense.

JOESLEY BATISTA, UM EXEMPLO DE COMO É BOM SER “AMIGO DO REI”.

5

ticiana-villas-boas-e-atacada-na-web-apos-escandalo-2_294429_36

Enquanto os delatores Marcelo Odebrecht, Léo Pinheiro, Milton Schahin, entre outros, cumprem suas penas, o empresário Joesley Batista, também delator, usufrui de uma vida nababesca em Nova York, sem qualquer preocupação no âmbito policial.

Joesley e a esposa Ticiane Villas Boas moram no Olympic Tower, na 5ª Avenida, onde possuem uma cobertura duplex avaliada em R$ 90 milhões, comprada do publicitário Nizan Guanaes. Quando do negócio, o apartamento foi comprado com tudo dentro, incluindo obras de artes e móveis luxuosos. Até mesmo a equipe de empregados foi mantida. O condomínio custa a “bagatela” de R$ 35 mil.

Para se locomover, Joesley se utiliza de um jato Gulfstream 550, que custa em torno de R$ 208 milhões. Inclusive foi neste jato que ele deixou o Brasil 12h após fazer sua bombástica delação premiada, no último dia 10 de maio.

Como opção de lazer ele pode passear no iate Why Not, que possui três andares, quatro quartos, uma suíte, banheira de hidromassagem e capacidade para até 25 pessoas. O brinquedo é avaliado em R$ 35 milhões.

pic_to_send

A fortuna de Joesley, avaliada em R$ 3,1 bilhões, conforme a Forbes, não é fruto unicamente de seu tino comercial. O BNDES sempre foi muito generoso com a JBS, uma das empresas da holding J & F, dona de todas as marcas acima, além de um banco e uma empresa de energia.

Luciano Coutinho, ex-presidente do BNDES, investiu mais de R$ 10 bilhões do banco na JBS, isso com o pretexto de movimentar a economia nacional. A iniciativa gerou muitas críticas: Não seria melhor ter diluído este valor em várias empresas? Não seria melhor ter investido em infraestrutura?

A título de comparação, o Complexo Viário da Abolição, obra que possui cinco viadutos, custou R$ 72 milhões.

Após ter mamado a larga, o empresário Joesley Batista não pensa mais em focar sua atuação no Brasil. Suas empresas estão sendo, aos poucos, transferidas para várias partes do mundo. Seu centro de negócios deverá ser na Irlanda ou nos Estados Unidos.

Do Brasil ele já sugou o que queria.

Enquanto nós, os mortais, ó.