DENÚNCIA CONTRA HOSPITAL NÃO SE CORFIRMOU

9
86

Na sexta-feira pretérita, integrantes da Justiça Eleitoral e do Ministério Público Eleitoral fizeram uma inspeção surpresa no Hospital Wilson Rosado, no Centro da cidade. Havia uma denúncia de que os funcionários daquela instituição privada estavam sendo obrigados a usar roupas em tom laranja, que remete a uma das candidaturas a prefeito.

A denúncia não se confirmou.

Primeiro, por que o número de funcionários “flagrados” com algum item em tom laranja foi bem pouco, se comparado ao total de pessoas que trabalham no local.

Segundo, por que estes poucos que estavam usando laranja o faziam de forma espontânea, sem qualquer tipo de coação para tal.

O curioso disso tudo é que quem transita com frequência pelos corredores do Wilson Rosado é acostumado a ver muitos tons verdes nas suas dependências e funcionários usando fardamentos verdes. A razão é simples: No prédio também funciona a Unimed, que tem o verde como sua cor padrão.

Tratou-se nitidamente de uma denúncia infundada, que visou macular a imagem de uma instituição referência em toda região.

Para ficar claro que inexiste qualquer coação ou orquestração quanto às roupas usadas pelos empregados, a administração espalhou dezenas de avisos em suas dependências pedindo aos funcionários que evitem usar roupas em tons que remetam a alguma das candidaturas existentes.

NOTA DO TIO – Mais importante do que atacar instituições de saúde, é pedir aos candidatos a prefeito que invistam mais nesta área, se eleitos. A população que precisa de cuidados médicos agradece.

9 Comentários

  1. Essa é a equipe que quer assumir a Mossoró do futuro… procurando de início destruir a credibilidade e a reputação do melhor hospital da cidade. Passando por impedirem o fim de duas favelas, o pior de tudo é que devemos pensar até onde vão chegar para alcançarem o poder. E depois se lá chegarem…

  2. Melhor seria dizer, o hospital “menos ruim” de Mossoró, pois infelizmente a medicina e rede hospitalar em nossa urbe ainda deixa muito a desejar. Voltando ao assunto, apesar de saber que Dr. Bernardo é um grande defensor da candidata Claudia Regina e por conseguinte ter um enorme interesse no continuísmo administrativo mossoroense, tenho certeza que nem ele nem Betinha se prestaria a isso.

  3. Infelizmente, é verdade que os funcionários foram orientados a usar roupas com o tom alaranjados. Conheço uma enfermeira, a qual não revelarei o nome por questão lógica, que encontrei saindo para o trabalho no sábado à noite reclamando da cor da “farda”, pois é eleitora de Larissa, mas, infelizmente ou felizmente, a denúncia não pode ser constatada, uma vez que foram avisados (os funcionários) quando da chegada do Dr. Herval e da Drª Karine e quem estava de laranja e tinha outra vestimenta trocou-a.

  4. Porque será que esse é o melhor hospital. Os outros fechando e ele só crescendo e crescendo… Eu é quem não sei se eles não se prestariam a isso Carlos Freitas. Na guerra tudo vale. E sim, essa é um gerra que promete ser sangrenta.

  5. tanta coisa para se preocupar esse povo estão se preocupando cor de funcionarios de hospitais.

  6. Como assim, não se confirmou? E o esclarecimento prestado por um servidor da justiça eleitoral no blog de Carlos Santos? Nele, o servidor afirma que houve sim a questão da vestimenta dos funcionários, e ainda, que restou configurada a propaganda naquele hospital, o que não é permitido, conforme art. 37, parágrafo quarto, da Lei nº 9.504/97 c/c o art. 10, parágrafo segundo, da Resolução nº 23.370/2011, do Tribunal Superior Eleitoral.
    http://blogcarlossantos.com.br/page/2/

  7. Exatamente,realmente não precisa dessa polemica, só por uma farda,apesar que o laranja tá na moda.. é o mundo todo…..

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome