Enquanto metade da humanidade não come, a outra metade não dorme. Com medo da que não come. (Josué de Castro)

0
268

 

01 – NO RÁDIO, A PALAVRA DA VEZ É INTERATIVIDADE – Foi-se o tempo em que uma bela voz era o suficiente para alguém atuar na rádio. A busca agora é por locutores/apresentadores que saibam interagir com os ouvintes, que sejam cativantes, espontâneos e próximos. O ouvinte quer participar, que trazer sua opinião, que conversar com o apresentador como se conversa com um amigo.

Em Mossoró, noto que a RPC e a FM 93 prezam muito por esta nova tendência. Seus locutores se mostram muito próximos de seus ouvintes, seja aparentando alegria ou demonstrando passar pelas mesmas dificuldades que todo mundo passa. Eles não posam como superiores ou inferiores, são iguais. Um bom exemplo é o radialista Agenor Melo, que faz programas policiais na RPC. Há pouco tempo no comando dos microfones, ele já caiu no gosto popular, justamente por seu carisma, sua simplicidade e sobretudo sua capacidade de interagir com os ouvintes. Segue a mesma trilha de outros nomes de sua emissora, como o ótimo Haroldo Jacome e o imprescindível Givanildo Silva.

Cumpre salientar que muitos radialistas começaram na época em que se exigia apenas uma bela voz, mas souberam assimilar a nova tendência e conseguiram manter a liderança e o interesse dos ouvintes, é o caso de Gilson Cardoso (FM 93) e de Jota Régis (Difusora), dois radialistas que somam belas vozes e capacidade de interação com os ouvintes.

A tendência na imprensa em geral é diminuir a distância entre quem informa e quem é informado.

 

02 – TIO COLORAU ENTERTAINMENT – Em Cobiça *** (2004) duas mulheres planejam escalar montanhas num lugarejo próximo, mas antes de chegarem ao destino passam por um bar e lá se envolvem numa confusão, fugindo na moto de um dos clientes. O problema é que na moto há algo que muitas pessoas estão atrás, começa assim uma grande perseguição.

 

A comédia A Inveja Mata *** (2004) mostra o relacionamento entre dois vizinhos quando um deles se torna milionário do dia para a noite. Os criadores do filme conseguiram retratar muito bem como as pessoas se sentem incomodadas quando o próximo ascende na vida.

 

03 – ROSALBA – Queiram ou não, a Gazeta do Oeste ainda consegue influenciar muitas pessoas. Basta ver o caso da senadora Rosalba Ciarlini (DEM), que parece ter sofrido abalo após o bombardeamento contra ela feito pelo jornal fundado por Canindé Queiroz. A senadora deixou de fazer suas incansáveis visitas pelo interior do Estado, onde participava de velórios, aniversários, procissões, rinhas de galo etc. Sendo estas visitas o alvo principal das críticas que lhe estão sendo feitas. O mote é que Rosalba Ciarlini pensa tanto na sua candidatura ao governo que se esquece de atuar como senadora.

Em condições normais, a senadora teria passado o carnaval na região, percorrendo todas as cidades, mas preferiu ir para a Europa, onde permanece até hoje.

Seus aliados sustentam que o “mergulho” é uma tática. Ora, quando dizem isso ratificam que a Gazeta do Oeste foi capaz de mudar a rotina da senadora, queiram ou não.

 

04 – DENGUE? – Hoje amanheci com garganta inflamada, dores no corpo, indisposição e vista turva. Terá sido o post de sábado profético? Espero que não!

 

05 – DA ASSESSORIA – Retornando às atividades normais após as festividades de Momo, o Vereador Flavinho e sua equipe reuniram-se neste sábado, dia 28/02 para seu 1º encontro de avaliação e planejamento, o qual acontecerá bimestralmente. Na oportunidade, a equipe apresentou o Planejamento de Mandato do Vereador juntamente com um cronograma de execução das atividades.

É de grande importância ressaltar, que mesmo sem a estrutura física pronta – o gabinete – a equipe realiza encontros produtivos periodicamente, necessários para o desenrolar dos trabalhos.

 

 

06 – CALCINHA – Acima, flagra do blog feito ontem à tarde do Mossoró West Shopping. Será esta uma nova tendência trazida no São Paulo Fashion Week?

 

07 – INVERSÃO – A imprensa local comentou em demasia dos sete projetos de lei que o prefeito Gustavo Rosado enviou para a Câmara Municipal aprovar. Uns criticaram e outros defenderam. O que ninguém contestou foi a incapacidade do nosso legislativo de exercer sua função precípua de legislar. Para ficar um pouco menos feio, a prefeitura deveria ter permitido ao menos que os projetos fossem apresentados por um dos tantos vereadores que integram a turma do amém.

 

08 – FALANDO NISSO – Após a vergonhosa aprovação dos projetos, sem nem ao menos discussão, ainda houve vereador que teve o desplante de ir para a rádio se defender. É ridículo ver alguém defendendo o indefensável. E alguns ainda tinham esperança de que haveria mudanças… santa inocência.

 

 09 – DOENTE – Como escrevi acima, não estou muito bem, razão pela qual encerro aqui este post, ouvindo PEGA RAPAZ, com RITA LEE.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome