MOSSORÓ: ESSA PEQUENA CIDADE NORDESTINA

7
116

 Desde o início da semana a Band News TV vem exibindo um pequeno documentário sobre Mossoró, o faz nos intervalos de seus noticiários.

Começa relembrando a invasão do bando de Lampião e encerra tratando do tripé que mantém nossa economia (sal, melão e petróleo). Em dado trecho, denomina Mossoró de “pequena cidade nordestina”. A expressão contradiz com a trazida pela revista Veja, que classificou a cidade como uma quase metrópole.

De fato, Mossoró cresceu bastante nos últimos anos, graças, sobretudo, à classe empresarial, que investiu em construção de condomínios residenciais, prédios comerciais, imóveis, instalação de franquias, abertura e ampliação de empreendimentos comerciais e qualificação de serviços.

As áreas de competência do poder público, como segurança, saúde e educação, não acompanharam o ritmo de crescimento da cidade. Neste âmbito, o que temos não é um crescimento, mas um inchaço. Os hospitais continuam superlotados e 10 mil famílias não possuem casa própria. Outra falha do poder público, talvez a maior, seja a questão da segurança. Nunca houve tantos assaltos e homicídios em Mossoró. Ruas mal iluminadas e falta de oportunidades para os jovens contribuem para a elevação da criminalidade.

No setor privado temos sim a sensação de ser uma “quase metrópole”, mas quando se trata de serviços públicos, continuamos sendo uma “pequena cidade nordestina”.

7 Comentários

  1. Uma expressão infeliz usada pela Band, tendo em vista que Mossoró deixou de ser uma cidade pequena há alguns anos, seja pelo sua área territorial, pelo contingente populacional, pelos índices econômicos etc.

  2. Tio , concordo com a BAND, Mossoró continua sendo aquela pequena cidade Nordestina, temos muitos motivos pra pensar assim ,desde atitude dos nossos politicos, como dos nossos empresários e comerciantes que ainda fecham os estabelecimentos na hora do almoço,colocam os seus carro na frente do próprio comércio deixando os clientes sem estacionamentos, poderia listar muito mais fatos que levam o meu pensamento a isso, mas só isso basta.

  3. Alguém já colocou uma lupa sobre os dados do IBGE e fez um a rápida comparação entre Mossoró e Parnamirim? Quias as diferenças das duas cidades e o que aconteceu nos últimos dez anos, em termos de desenvolviento?

  4. Quem acha que Mossoró é uma grande cidade, só conhece Governador Dix-sept Rosado, Barauna, Upanema, Tibau, Grossos, Povoado do Piquiri, Areia Branca, Sitio Ingá, Lagoinha, Picada Primeira, Juremal, Açu, Maisa, Assentamento Cabelo de Nêgo, Assentamento Hipolito, Gangorra, Zé da Volta e Cacimba Funda (Ce).
    Esqueci de Morro Pintado, Redonda e Ponta do Mel.
    Raimundo Pão Doce (é com ou sem côco?) está mais do que certo. Muitos comerciantes mossorenses fecham as suas lojas no horário de almoço pra tirar um cochilo. Isso não é mais considerado como Cidade Atrasada e sim como Cidade Asno.

  5. Outro dia entrei na Insinuante para comprar um celular. Pedi à moça para ver um que simpatizei. Ela perguntou se eu iria comprar. Eu disse: quero ver o aparelho em minhas mãos para decidir se vou mesmo comprá-lo. Ela respondeu: eu só tiro o celular da vitrine se você for realmente comprá-lo. Eu não disse mais nada. Saí imediatamente dali e fui comprar em outra loja. Tenho outro exemplos, mas isso é só uma demonstração de como são os comerciantes em Mossoró, “metrópole” do futuro.

  6. Quando descobrirem quem é esse limão azedo os asnos de Mossoró lhes mostrarão o tamanho da pilombeta ver se ele aguenta umas dez. E os gayas da sua Veneza faz uma filazinha também. Asno é Asno…

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome