Racionalidades – 109ª edição.

0
74

NOGUEIRÃO – A mais recente interdição do Nogueirão, ocorrida na semana passada, trouxe novamente ao debate o maior estelionato eleitoral da história de Mossoró, quiçá do Rio Grande do Norte: aquela maquete da reforma do estádio Manoel Leonardo Nogueira apresentada em outubro de 2012 pela então governadora Rosalba Ciarlini (PP), a fim de impulsionar a candidatura de sua então correligionária, Cláudia Regina (DEM).

A reforma nunca foi nem iniciada. Aquilo foi a mostra mais clara de como os políticos não sentem remorso algum em enganar a população.

Na oportunidade, a governadora disse que a reforma, que custaria R$ 39 milhões, seria entregue antes da Copa do Mundo de 2014, e que lutaria para que alguma seleção utilizasse o estádio para treino.

Todo mundo caiu na lorota.

*

DESAVERGONHADO – Na semana, um jornalista do cativeiro de Rosalba Ciarlini (PP) tratou do assunto envolvendo a interdição do Nogueirão. Ele conseguiu a proeza de isentar a ex-governadora e atual prefeita de qualquer culpa. Na maior cara-de-pau disse que a culpa de tudo é do ex-prefeito Silveira Júnior (PSD). Eu classifico isso como humor.

*

ESTRADA NOVA – O deputado federal João Maia (PL) apresentou projeto de lei para que seja criada uma nova estrada no Rio Grande do Norte, unindo a BR-226, altura de Paraú, à BR-304, altura de Assu.

Não entendi muito bem, até porque a RN-233 já faz essa ligação. A não ser que a intenção seja transformá-la em rodovia federal.

De qualquer modo, entendo que o deputado deveria concentrar forças na duplicação da BR-304, trecho entre Mossoró e Natal. Quando se fala de estradas, essa é a maior prioridade do estado.

*

NÃO DEVE SER COISA BOA – A equipe econômica do governo federal anunciou que as definições sobre o Renda Cidadã, programa que deverá substituir o Bolsa Família, só serão apresentadas à população na semana seguinte às eleições.

Isso não me cheira nada bem. A impressão é que haverá soluções impopulares, do contrário elas seriam reveladas desde já. Por que esperar para divulgar exatamente uma semana após as eleições?

*

NOSSA RAÇÃO – Em setembro, o conjunto básico de alimentos para a sobrevivência mensal de um adulto, a chamada cesta básica, chegou a R$ 422,31 em Natal. Em dezembro de 2019 era R$ 383,76.

Atualmente, a cesta básica mais cara, entre as capitais, é a de Florianópolis (SC), R$ 582,40.

Os dados são do Dieese.

*

RECUPERAÇÃO – O Departamento de Estradas e Rodagens (DER) vem recuperando as rodovias estaduais desde julho último. Até agora as equipes já percorreram 1.199 quilômetros. O objetivo é percorrer mais 1.398 quilômetros até novembro, totalizando assim 2.577 quilômetros, o que representa 80% da malha rodoviária estadual.

Ao total, são 21 equipes trabalhando, com possibilidade de mais sete serem incorporadas até novembro. O investimento total é de R$ 17 milhões.

*

ESTRANHO – Wesley Teixeira, candidato a vereador em Duque de Caxias (RJ) pelo PSOL, recebeu doações para a campanha dos banqueiros Armínio Fraga e João Moreira Salles. O gesto não foi bem digerido por parte do partido, conhecido pela bandeira anticapitalista. Alguns até pediram a expulsão do candidato da sigla.

Os banqueiros simpatizaram com a bandeira antirracista do candidato, área que ele atua há muitos anos. O deputado Marcelo Freixo, um dos expoentes do PSOL, também não viu nada demais nas doações.

O fato é que o clima ficou ruim.

*

REGRAS PARA VOTAÇÃO – Na semana o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou como deve ser a logística na seção de votação no dia das eleições.

Em suma, o eleitor não entregará o documento com foto ao mesário, mas o exibirá a uma distância que permita a visualização. Em seguida, afasta-se um pouco e tira a máscara, para que o mesário confirme que a pessoa é a mesma da foto.

Na sequência, assina a folha de votação utilizando a própria caneta, que deve ser trazida de casa. Antes e depois da votação também deverá passar álcool em gel nas mãos.

Já tem gente nas redes sociais dizendo que não tira a máscara de jeito nenhum. Isso vai dar um moído…

*

ÓLEO DE PEROBA – No último domingo, em entrevista ao jornal Tribuna do Norte, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, fez várias críticas ao governo estadual, especialmente ao setor econômico.

Penso que ele é a pessoa menos indicada para criticar a atual ou qualquer administração futura. Seu pai, o ex-governador Robinson Faria, conseguiu a “proeza” de sacar R$ 800 milhões do Fundo Previdenciário e ainda assim deixou de pagar quatro folhas salariais.

É muita cara-de-pau…

*

NOVA CPMF – Não tem quem convença o ministro Paulo Guedes a desistir de recriar a CPMF. Ele defende uma alíquota de 0,2%, a ser cobrada em cima de qualquer movimentação bancária. Pelos cálculos de sua equipe econômica, o novo imposto vai gerar uma receita anual de aproximadamente R$ 120 bilhões.

O grande entrave é o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o qual já afirmou que em hipóteses alguma colocará em pauta um projeto neste sentido.

Assim, ou Paulo Guedes faz Rodrigo Maia mudar de opinião ou se espera o próximo presidente da Casa. O danado é se o sucessor de Maia também for contra a recriação da CPMF.

*

RIO DE JANEIRO SEM SORTE – Ao todo, o governo de Wilson Witzel (PSC) fez 196 contratos de emergência durante a pandemia do novo coronavírus, somando a quantia total de R$ 1,7 bilhão. Uma comissão da Assembleia Legislativa se debruçou sobre todos e concluiu que havia irregularidades em 99% deles.

Ao fim da análise, a comissão emitiu um parecer de 689 paginas opinando pelo afastamento definitivo de Witzel.

*

PRECIPITOU-SE – O caso do governador Wilson Witzel serve de lição: nunca se apresente como candidato sem ter uma boa base política de sustentação.

A desgraça de Witzel não começou com os contratos irregularidades, começou quando ele anunciou o desejo de concorrer à presidência da República em 2022.

*

NEM AÍ – A indicação do desembargador Kássio Marques para a vaga de Celso de Mello no STF desagradou a ala mais radical do bolsonarismo, aquela que fica “espumando” nas redes sociais, como Allan dos Santos, Rodrigo Constantino e Sara Giromini.

O presidente Bolsonaro, contudo, não demonstrou nenhuma preocupação com a ira dessa ala mais radical. Ele está vendo que essa turma não agrega, que quem soma mesmo é o Centrão e os programas sociais.

O presidente surfa em boa popularidade, o que é excelente para um político que almeja a reeleição.

*

FALANDO NISSO – Ao dar uma olhada nas pesquisas eleitorais envolvendo as disputas nas capitais brasileiras, notei que na maioria o favoritismo recai em candidatos que integram os partidos do Centrão. Parece que o extremismo, de um lado e de outro, está perdendo força. O povo cansou de tanta briga, essa é a impressão.

*

FRASE “Quando uma empresa de comunicação põe seu jornalismo de joelhos, a serviço do poder, ela mostra claramente que não tem compromisso e respeito com o público”. (Rachel Sheherazade, jornalista recentemente desligada do SBT, em entrevista à IstoÉ).

*

MERECIDA – O vereador Petras Vinícius (DEM) apresentou projeto de lei ordinária para dar a uma das ruas do bairro Bella Vista o nome do comerciante José Herivelto Dias (Betinho do Frango).

Falecido no último dia 13 de fevereiro, Betinho mantinha um comércio de frango assado na Rua Frei Miguelinho, onde aglutinava setores os mais diversos da sociedade, no que se convencionou chamar de “Confraria do Betinho do Frango”, que marcará para sempre a história do bairro 12 Anos. A homenagem é merecida.

*

INAPROPRIADO – Com home office e crianças em vídeo-aula, não convém fazer campanha com carros de som nas esquinas. Além de tudo tem a pandemia. O ideal mesmo é focar nas campanhas online, via redes sociais.

*

SUGESTÕES/CRÍTICAS – Esta coluna é atualizada às sextas-feiras, sempre às 04h59. Sugestões e críticas podem ser enviadas para o número 99648-2588 (WhatsApp).

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome