UM SANTA QUE NUNCA FOI SANTA

1

 
Para os católicos, santos são aqueles que viveram uma vida exemplar, sempre fazendo o bem, se martirizando e operando milagres. Para ser oficializado como santo, o que é feito através de um processo de canonização, é necessário que a pessoa tenha morrido há mais de cinco anos e que sua reputação perante a sociedade em que viveu seja a melhor possível.

O título de santo só pode ser dado pelo Papa, enquanto o título de Beato pode ser dado por ordens religiosas de padres ou freiras. Atualmente existem aproximadamente quatrocentos santos e mais de nove mil esperando a canonização. Antes do Papa João Paulo II, a dificuldade para conseguir o título de santo era imensa, entretanto, mencionado Papa retirou algumas exigências feitas anteriormente, o que permitiu que ele canonizasse mais santos do que todos os demais papas juntos, isso durante o Século XX. Mesmo assim, ainda é muito difícil alcançar o título de santo. Exceção se dá na cidade de Mossoró, onde uma dona de casa virou santa de uma forma bem menos burocrática.

O terreno onde hoje está localizado o Conjunto Santa Delmira pertencia a seu Geraldo Matos de Oliveira, atualmente residente na Delfim Moreira, o qual impôs uma condição quando da venda do terreno ao governo estadual: o nome do conjunto deveria homenagear a sua mãe, dona Delmira Matos, pediu ainda que se colocasse o nome Santa Delmira, pois lhe soava melhor. Assim, dona Delmira Matos alcançou o “título” de santa de uma forma bem menos burocrática.

 Há outras peculiaridades em Mossoró: O Alto do Louvor, ao contrário do que o nome sugere, é freqüentado por pessoas nem um pouco carolas, mas sim por prostitutas, travestis, ébrios contumazes etc. Já o Alto da Conceição é o bairro mais baixo da cidade, ao passo que a Baixinha é o ponto mais alto.

Sabe de mais alguma?

EXIGÊNCIA DE DIPLOMA PARA JORNALISTAS

0

Depois de tantas liminares, de tantas idas e vindas, o Supremo Tribunal Federal decidirá acerca da obrigatoriedade de diploma para o exercício do jornalismo. Particularmente, acredito que o tino, a inteligência e a perspicácia não se adquirem nos bancos escolares.

 Caso houvesse exigência desde tempos idos, não conheceríamos a obra de vários expoentes da literatura nacional, como Machado de Assis, que começou a chamar a atenção depois que escreveu nos jornais Correio Mercantil e Diário do Rio de Janeiro, além da revista Marmota Fluminense. Da mesma forma, Assis Chateaubriand, Roberto Marinho, Millôr Fernandes e Boris Casoy seriam ilustres desconhecidos.

Seria justo entupir as redações com “ratos de laboratório”?

Defendo, contudo, que os não diplomados que trabalham nas redações sejam incentivados a fazer um curso onde aprendam as técnicas ensinadas nos bancos escolares.

Mostrado o dom, que se aperfeiçoe.

BLOGS E AS RESPONSABILIDADES DOS BLOGUEIROS

0

Logo mais às 19h, na TCM, o programa De Fato e de Direito, produzido pela Esmarn-Mossoró, tratará do tema “blogs e as responsabilidades dos blogueiros”, oportunidade em que os convidados tratarão da importância dos blogs, da ética do blogueiro, do sigilo da fonte, processos contra blogueiros, entre outros assuntos correlatos.

 A apresentação ficará por conta da advogada Danielle Riergermann, tendo como convidados o blogueiro Carlos Santos, o professor e jornalista Kildare Gomes e o juiz Patrício Jorge.

UM ESTILO INCONFUNDÍVEL

0

 
Hoje não há mais condições de ele escrever, no entanto, quando o fazia, a repercussão de seus textos era enorme. O estilo era inconfundível, dividindo opiniões até hoje. Quem lia aquelas notas que xingavam pessoas importantes, até mesmo usando vocabulário agressivo, se sentia com a alma lavada, elogiando e prestigiando o autor pela coragem. Por outro lado, muitas pessoas tiveram a reputação levada ao chão imerecidamente, pelo simples motivo de negar um patrocínio para o jornal ou até mesmo pelo fato de contrariar os interesses do proprietário. Na maioria dos casos, as vítimas eram empresários, políticos e concorrentes.

 

Ele também usava o jornal para doutrinar os leitores, levando-os a crer em realidades inexistentes, sobretudo na seara política. O candidato que bem soubesse procurava logo ter amizade com tão temido jornalista, detentor de uma força incapaz de existir nos dias atuais, ante a proliferação de meios de comunicação. Ele criticava ferozmente as freiras do colégio, dizendo que estas eram paradoxalmente anticristãs. Criticava e lutava pela ruína dos comerciantes que davam um “não” aos seus pedidos. Não se sentia constrangido em chamar seus desafetos de homossexuais, cornos, corruptos etc.

 

Esse era Assis Chateaubriand, criador da maior cadeia de imprensa que o Brasil já teve, os Diários Associados, formado por 34 jornais, 36 emissoras de rádio, 18 estações de tevê, uma agência de notícias e duas revistas, uma semanal e outra mensal. Chatô, como ficou conhecido, nasceu em 1892, no interior da Paraíba, e começou a formar seu império de comunicação em 1927.

 

 Morreu no dia 04 de abril de 1968.

DEPUTADO DO RN USA VERBA DA CÂMARA PARA PAGAR PASSAGENS AÉREAS PARA CELEBRIDADES E NAMORADA.

0

 
A Câmara pagou passagem para os atores Kayky Brito, Sthefany Brito e Samara Felippo participarem do carnaval fora de época em Natal. Os bilhetes saíram da cota do deputado Fábio Faria (PMN-RN), dono do camarote Athlética, um dos mais concorridos do Carnatal por reunir o maior número de celebridades. Os bilhetes em nome de Stephany, Kayky e Samara foram emitidos no dia 30 de novembro de 2007. Os dois irmãos viajaram do aeroporto do Galeão, no Rio, a Natal. O deputado também utilizou a cota parlamentar para pagar sete viagens para a ex-namoradora, a apresentadora de TV Adriane Galisteu, e a mãe dela, Emma Galisteu, entre 2007 e 2008.  Um dos trechos pagos com recursos da Câmara transportou Emma de Miami, nos Estados Unidos, a Guarulhos, em janeiro do ano passado.
A assessoria de imprensa do deputado do Rio Grande do Norte respondeu por escrito a parte das perguntas feitas pelo Congresso em Foco. “Sobre a emissão de passagens aéreas em nome das três pessoas citadas pelo repórter com destino a Natal, na cota do gabinete de Fábio Faria (PMN), vimos informar que os valores já foram ressarcidos pelo deputado federal”, diz o texto enviado por e-mail ao site. Em conversa ao telefone com o repórter, a assessoria disse que Fábio Faria admitia ter usado passagens da cota para viagens da então namorada Galisteu.

Pelo menos outras duas pessoas ligadas ao meio artístico também voaram, na mesma ocasião, com os créditos da Câmara: a empresária Maiz Oliveira, sobrinha da atriz Luma de Oliveira, e o cantor Fábio Mondego, vocalista da banda Los Imposibles, dos atores Marcelo Serrado e Marcelo Novaes. As passagens emitidas em nome dos artistas, pela Gol, custaram R$ 5.326,72. Fábio Faria ainda usou a cota parlamentar para transportar a arquiteta Viviane Teles, que assina a decoração do camarote Athlética no Carnatal. Outras três pessoas ligadas ao mundo das celebridades também viajaram na cota do deputado: o estilista Ian Acioli, a joalheira Roseli Duque e o jornalista Nelson Sacho, assessor de imprensa de Adriane Galisteu. Como um dos oito representantes do Rio Grande do Norte na Câmara, o deputado do PMN tem uma cota mensal de R$ 16.010,83 para gastar em passagens aéreas. O benefício é garantido por ato normativo da Mesa Diretora, para que os parlamentares possam se deslocar semanalmente às suas bases eleitorais. 

Do site Congresso em Foco

O DEBATE SOBRE A IDADE MÍNIMA PARA DIRIGIR

4

No Brasil, apenas os maiores de 18 anos podem tirar a Carteira de Habilitação, o que gera bastante polêmica, pois os jovens de 16 anos já podem votar e trabalhar. Ora, se a legislação permite ao jovem de 16 anos eleger seus representantes e se sustentar, por que não lhe permitir conduzir veículos automotores?

No Congresso Nacional há cinco projetos de lei que propõem a redução da idade mínima para dirigir de 18 para 16 anos. Enquanto os projetos não se transformam em leis, as discussões acerca do assunto se avolumam.

Além da comparação entre os direitos de votar e trabalhar, os defensores da redução se alicerçam na comparação com países mais desenvolvidos, onde a idade média para tirar a carta de motorista é de 16 anos (EUA, França, Inglaterra). Acrescenta-se ao pleito o fato de o Código de Trânsito Brasileiro ter recursos para tirar das estradas os maus motoristas, independentemente da idade.

Do outro lado, os defensores da manutenção da regra atual dizem que o ato de votar, diferentemente do ato de dirigir, não põe a vida de outras pessoas em risco. Além do mais, a diminuição da idade aumentaria o número de carros circulando nas ruas, o que contribuiria para elevar o caos no trânsito.

Por fim, as estatísticas mostram que quase a metade dos acidentes fatais ocorrido no Brasil são causados por jovens entre 18 e 29 anos.

Sem dúvida, uma discussão digna de ser levada para a Equipe Econômica do Copão.

MOSSORÓ CRESCE, APESAR DE FAFÁ ROSADO.

0

 

 

 

Nos últimos anos a cidade de Mossoró vem sendo contemplada com uma série de investimentos do setor privado, seja na construção civil, no setor de educação, na instalação de lojas e supermercados etc.

 

Os investidores chegam motivados pelo poderio econômico da região, oriundo sobretudo da fruticultura irrigada, do petróleo, do sal, do camarão e até mesmo pela privilegiada localização geográfica de nossa cidade.

A administração municipal não pesa em nada quando da decisão dos grandes empresários de se instalarem em Mossoró. Se o prefeito fosse Paulo Doido a Wal-Mart, por exemplo, se instalaria aqui do mesmo jeito.

 A administração municipal incentiva apenas a criação de “gatinhas”, que em nada contribui para a nossa cidade, muito pelo contrário.

O mínimo que a administração municipal poderia fazer era zelar pelo asfalto das avenidas e calçamento das ruas de nossa cidade, o que não faz, justamente por causa delas, as citadas “gatinhas”.

Também poderia ajudar qualificando nossos jovens para trabalhar nestes empreendimentos, no entanto, a Funger (Fundação Municipal de Geração de Emprego e Renda) continua oferecendo os “modernos” cursos de manicura, pedicura, cabeleireira, costureira, padeiro etc.

É por estas e outras que temos a sensação de que Mossoró cresce, apesar de Fafá Rosado.

TSE ENCAMINHA PEDIDO DE LANICE FERREIRA PARA O TRE

0

 

O ministro Marcelo Ribeiro, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou o envio ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) do mandado de segurança em que Lanice Ferreira de Macedo, eleita para a prefeitura do município de Dix-Sept Rosado, pede a concessão de liminar contra decisão que manteve o andamento de recurso contra a sua diplomação como prefeita. Lanice é acusada de abuso de poder econômico e suposta compra de votos nas eleições de 2008.

 A prefeita ressalta que na Corte Regional tramita um processo que tem conexão com o recurso apresentado por seus adversários. Segundo Lanice, o Tribunal Regional violou um direito líquido e certo seu ao manter o andamento do recurso, pois terá que haver nova instrução processual “de um fato já devidamente discutido em outra oportunidade”.

 O ministro Marcelo Ribeiro afirma, em sua decisão, que o TSE já firmou entendimento de que compete ao Tribunal Eleitoral respectivo o exame de mandado de segurança impetrado contra ato de seus integrantes.

 Em outras palavras, Lanice Fereira (PMDB queria cancelar, no TSE, o andamento de um processo no TRE, contudo, os ministros entenderam que tal prerrogativa cabe exclusivamente ao órgão estadual.

UMA GRANDE NOVIDADE

0

 

A empresa A-Sim, que venceu a “curiosa” licitação para realizar o Mossoró Cidade Junina, já antecipou três das atrações do evento:

Forró do Muído

Aviões do Forró e

Saia Rodada.

 

Pegou todo mundo de surpresa. Ninguém, jamais, imaginaria que tais bandas se apresentariam no Mossoró Cidade Junina.

 

Por falar em licitação, perguntei a uma pessoa “lá de dentro” por que a empresa que todos esperavam não venceu a licitação. A resposta da fonte foi enigmática:

 

Problemas de percentagem.

 

Ah! sim.

TIO COLORAU ENTERTAINMENT

0

 

 

 

O drama O Poeta **** (2007) traz a história de um soldado alemão que na segunda-guerra mundial se apaixona pela filha de um rabino. A película mostra a dificuldade de se manter um relacionamento às escondidas, mesmo quando há intensa paixão. O casal luta até o fim para manter a união, apesar de todas as adversidades. Uma sugestão do amigo e advogado Lindemberg Lima.

 

No suspense Enquanto Ela Está Fora **** (2008), a cliente de um shopping coloca uma reclamação escrita num bilhete no pára-brisa do carro de um outro cliente que ocupou duas vagas no estacionamento. Tal atitude mudará completamente aquela noite de natal.

 

A comédia Nota 10 em Confusão **** (2003) traz uma série de mal-entendidos que ocorrem numa república de estudantes universitários. Tudo começa quando uma inter-cambista francesa é confundida com uma prostituta e vice-versa.