Racionalidades – 14ª edição

0
83

ALIANÇAS DE OURO – Faltando pouco para as convenções, quatro partidos são os mais cortejados para alianças, isso por causa do tempo na propaganda, do fundo eleitoral e do número de deputados federais. Nenhum dos quatro partidos deverá lançar candidaturas próprias. Assim, deverão se unir a uma candidatura já posta.

O PR tem 40 deputados, 47 segundos na propaganda e R$ 113 milhões de fundo eleitoral; O PP tem 49 deputados, 52 segundos na propaganda e R$ 131 milhões de fundo eleitoral; O PSB tem 26 deputados, 47 segundos na propaganda e R$ 118 milhões de fundo eleitoral; e o DEM tem 43 deputados, 30 segundos na propaganda e R$ 89 milhões de fundo eleitoral.

O PR tem como foco aumentar a representatividade na Câmara dos Deputados. Desta forma se juntará ao partido que tiver maiores condições de realizar isso. A aliança com Jair Bolsonaro foi descartada. Atualmente conversam com o PT.

O PP se divide entre o PDT de Ciro Gomes e o PSDB de Geraldo Alckmin. A princípio a tendência era ficar com o pedetista, mas o quadro se alterou após o pedetista chamar uma promotora de “filho da puta”.

O PSB é o mais “enganchado”. Há correntes para todos os gostos, desde o apoio a Marina Silva (REDE) à isenção, passando por defensores de alianças com PDT, PSDB e PT. Como há muitas situações especiais nos estados, a tendência é que o partido faça uma aliança nacional e libere os diretórios estaduais.

O DEM está mais propenso a fechar com Ciro Gomes (PDT), pois quer desmanchar a pecha de apêndice do PSDB. As negociações entre os dois travam na questão econômica e também em alguns desafetos que Ciro tem no DEM. Reparadas estas arestas, a aliança será feita.

*

HENRIQUE FORA, NESTA – Em entrevista a rádio 98 FM de Natal, o senador Garibaldi Filho (MDB) disse que o ex-deputado federal Henrique Alves não disputará nenhum cargo eletivo nas eleições que se avizinham. O detalhe é que o senador enfatizou bem o “na próxima eleição”, sugerindo que o ex-deputado, que saiu da cadeia recentemente, poderá participar de pleitos futuros.

Ainda na entrevista, não entendi muito bem a resposta do senador quando perguntado sobre a rejeição do pré-candidato Carlos Eduardo. Ele disse que o primo sempre focalizou sua atuação política em Natal, por isso encontra dificuldades no restante do estado, e concluiu dizendo que Carlos Eduardo tem dois tipos de rejeição, a daqueles que não o conhecem e a daqueles que o conhecem muito.

Essa parte do “daqueles que o conhecem muito” me pareceu estranha. O que o senador quis dizer com isso? Terá algo a ver com o ditado “Quem não te conhece que te compre?”. É o que ficou parecendo.

FRÁGIL – Para encerrar, o senador, que tem 71 anos, me pareceu muito frágil, com dificuldade para falar e raciocínio mais lento do que o seu convencional. Suportará mais oito anos de atividade parlamentar? Não estaria na hora de pendurar as chuteiras, passar a vez para alguém com mais disposição e vigor?

*

O NOME – Na aliança entre o pré-candidato ao governo do estado, Carlos Eduardo Alves (PDT), e a prefeita de Mossoró, Rosalba Cialini (PP), coube a esta indicar o vice na chapa encabeçada pelo ex-prefeito de Natal. Findou o nome do filho da prefeita, o publicitário Cadu Ciarlini.

Numa disputa acirrada como a que se avizinha, é temerário formar uma chapa com alguém “indicado”, rejeitando um nome que realmente tenha liderança. Geralmente as chapas para governo do estado são formadas por duas pessoas que têm representatividade, e não por alguém apenas “indicado”.

Eu sei que a prefeita Rosalba Ciarlini quer um labor para seu filho encostado, mas o mais lógico seria ter indicado o nome do deputado federal Beto Rosado (PP), que tem alguma representatividade.

*

O Parque da Cidade continua cada vez mais abandonado. Nesta semana os larápios levaram os cabos de eletricidade. Uma excelente ideia do ex-prefeito Silveira Júnior não progrediu por simplesmente ter sido uma ideia…  do ex-prefeito Silveira Júnior. Muita pequenez.

*

BEACH PARK – O fato lamentável da semana foi o acidente no Beach Park que tirou a vida de um turista paulista. Um sinistro como este é muito ruim para a imagem do empreendimento, mas devemos analisar que este foi o único óbito registrado nos quase 30 anos de existência do parque aquático que recebe 1,7 milhão de visitantes por ano. Considerando isso, tal fatalidade não deveria evitar a visita de novos frequentadores.

É 100 vezes mais fácil morrer nas ruas das periferias de Mossoró do que num brinquedo no Beach Park.

*

REMOÇÃO – O juiz Herval Sampaio (foto), atualmente exercendo o cargo de presidente da Associação dos Magistrados do Rio Grande do Norte (AMARN), não voltará mais para Mossoró quando seu mandato terminar. O Diário da Justiça publicou sua remoção, a pedido, para a 1ª Vara da Comarca de Ceará Mirim.

O magistrado deixará saudades. Nos tempos em que trabalhou em Mossoró, ele foi sempre muito presente na vida cotidiana do município, seja proferindo palestras, seja participando de entrevistas em toda a imprensa e também apresentando seus próprios programas, além de intensa participação nos eventos sociais.

As 24 horas do dia sempre foram pequenas para o inquieto Herval Sampaio, intenso em tudo o que fazia. Emotivo que é, já deve ter chorado lembrando dos momentos que viveu em Mossoró, uma cidade que tão bem o acolheu.

Nobre amigo, desejo-te sorte e conquistas na sua nova empreitada, e que um dia possas realizar aquele sonho profissional que um dia me confidenciou.

  *

SOBRAS ORÇAMENTÁRIAS – Na última terça-feira a Assembleia Legislativa decidiu que os órgãos que recebem repasses constitucionais do Executivo não precisam devolver dinheiro ao governo estadual caso haja sobras orçamentárias. A decisão foi apertada, 12 x 11, com voto de minerva do presidente Ezequiel Ferreira (PSDB).

A decisão gerou revolta entre os servidores do Executivo, os quais alegaram, através de representantes de sindicatos, que as sobras deveriam voltar para a fonte primária (governo estadual), a fim de o dinheiro servir à sociedade.

Ora, e se o dinheiro ficar na Assembleia Legislativa, Poder Judiciário, Ministério Público, Tribunal de Contas e Defensoria Pública ele não servirá à sociedade? Servirá sim. Todos estes órgãos são públicos e precisam de verbas para se manter e oferecer um melhor serviço aos cidadãos.

*

REINAUGURAÇÃO – O restaurante Gonzaga da Panelada será reinaugurado no próximo sábado, a partir das 11h. No mesmo dia, às 19h, será realizada no local uma Missa em Ação de Graças para celebrar o feito.

O restaurante foi destruído por um incêndio no último dia 14 de junho. Desde então várias campanhas foram realizadas na cidade, especialmente em grupos de WhatsApp, para arrecadar fundos e ajudar na reconstrução do restaurante, que funciona na rua Jeremias da Rocha, bairro Santo Antonio.

Gonzaga da Panelada é o típico restaurante “saideira”, para onde a turma vai comer uma panelada, buchada, sarapatel etc. após as festas. O proprietário, seu Gonzaga, traga a todos com devotada atenção, o que faz todos gostarem dele e se unirem para reconstruir seu espaço.

Além disso, todos estão sentindo falta daquele sarapatel etc. após formaturas, vaquejadas etc.

*

SEM ALIANÇAS – O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ), pré-candidato à presidência da República, está tendo dificuldades para encontrar um vice. Na segunda-feira ele anunciou que seria Augusto Heleno, general da reserva filiado ao PRP. No dia seguinte o partido negou a aliança.

Antes disso, o PR do senador Magno Malta (ES) já havia declinado do mesmo convite.

Sem outras possibilidades de alianças no horizonte, Jair Bolsonaro deverá recrutar um vice filiado ao seu próprio partido, formando assim uma chapa puro-sangue, com direito a oito segundos na propaganda eleitoral gratuita. Neste caso, o mais provável é que a vice seja a advogada Janaina Paschoal, aquela.

ESCOLHA – Nas tratativas com o PR, Jair Bolsonaro disse que cedia a vaga de vice para Magno Malta, mas o PR não poderia se juntar ao PT na Bahia e em Minas Gerais. O partido não aceitou a proposta, preferindo fazer as alianças com o Partido dos Trabalhadores nos dois estados.

*

NA HISTÓRIA – Nesta data, em 1973, morria, em Los Angeles, o ator Bruce Lee, nativo de Hong Kong. Contava com 32 anos de idade. Seu último filme, Operação Dragão, foi lançado seis dias após a sua morte. Os cinemas de Mossoró, especialmente o Cine Pax, exibiram vários filmes de karatê onde Bruce Lee figurava como ator principal. Isso nos anos 70/80. Eram os chamados vesperais. Ao terminar os filmes, só sobrava pros garajaus que ficavam entre o cinema e a casa do expectador.

*

DESEMBOLSO – Começou no último dia 18 o pagamento do Bolsa Família, que teve reajuste de 5,67%. Os beneficiados receberão até o último dia do mês. O dinheiro é liberado de acordo com o número impresso no cartão. Final 1 recebe no primeiro dia, e assim por diante.

O governo federal investe R$ 29 bilhões anuais com o programa, que beneficia 14 milhões de famílias.

*

VÁLIDO – O deputado federal Felipe Maia (DEM) postou em suas redes sociais que havia conseguido junto à Caixa Econômica que as lotéricas voltassem a receber contas da Cosern, o que deixou de ser feito há aproximadamente dois meses.

Muitos internautas zoaram do deputado, dizendo que há coisas mais relevantes a serem feitas. De fato tem, mas de qualquer modo se tratou de uma conquista, o que não deve ser desconsiderado. Pequenas conquistas não impedem as grandes.

*

SUGESTÕES/CRÍTICAS – Esta coluna é atualizada às sextas-feiras, sempre às 04h59. Sugestões e críticas podem ser enviadas para o número 99648-2588 (WhatsApp).

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome