Racionalidades – 39ª edição.

3
122

MENOS, PREFEITA, MENOS. – Nesta semana, num dos seus programas diários, a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) informou que no ano passado, em Mossoró, a quantidade de contratações com carteira assinada no comércio superou o número de demissões, consoante dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Segundo o órgão, o saldo em Mossoró ficou positivo em 206 postos. Foram 4.888 demissões e 5.094 contratações. O melhor índice dos últimos quatro anos, lembrando que em 2015 e 2016 o saldo foi negativo; e em 2017 foi positivo em 77 postos.

Não resta dúvida de que se trata de uma boa notícia, o problema está no motivo alegado pela prefeita para termos este saldo positivo.

No programa, ela vincula tal feito ao pagamento em dia do funcionalismo público. Como é, prefeita? Quer dizer que nossos comerciantes estão contratando mais porque a prefeitura está, segundo a senhora, pagando em dia? Pelas caridade…

Não resta dúvida de que o pagamento em dia favorece o comércio, mas numa parcela bem inferior ao que a prefeita quis parecer. Mossoró é uma cidade polo, com milhares de moradores de cidades próximas vindos para cá diariamente, além da atividade empresarial. Nem de longe podemos vincular o crescimento do comércio ao pagamento em dia do funcionalismo público.

*

SERVIÇOS – Quem conhece bem a cidade sabe que a maioria destes postos de trabalho está ligada às áreas de alimentação e lazer. Não abriu nenhuma grande loja em Mossoró nos últimos dois anos, o que aumentou consideravelmente foi o número de restaurantes e afins, sobretudo os que fornecem refeições via delivery, isso porque cada vez mais as famílias optam por não preparar suas refeições, preferindo fazê-las fora de casa ou pedir a domicílio.

*

PARADO – O comércio tradicional, de sapatos, bolsas, camisas, móveis, eletroeletrônicos etc, está “parado de tudo”, como costumam dizer os próprios comerciantes. Vendedores passam o dia “olhando para o tempo”.

*

CARROS – O comércio de veículos é outro que enfrenta dias difíceis. Tem pequeno comerciante que está há seis meses sem negociar nenhum automóvel.

*

BOECHAT – A semana começou com a notícia da morte trágica do jornalista Ricardo Boechat, que trabalhava pela manhã na Band News FM e à noite no Jornal da Band.

Diariamente eu o ouvia na Band News FM, onde ele abria o programa, às 7h30, comentando algum assunto que estava em destaque no noticiário nacional. No de segunda, que eu ouvi ao vivo, ele cobrou das autoridades a responsabilização pelas tragédias em Brumadinho (MG) e no CT do Flamengo. Defendeu que a impunidade era inaceitável.

Eram comentários fortes – inclusive citei um na coluna da semana passada -, muitas vezes até exagerados, mas ainda assim ele conseguia ser admirado por uma multidão de gente, pois demonstrava inteligência e espírito público.

Sentíamos que era movido pelo mesmo sentimento que move o cidadão comum, e não por interesses escusos. Tanto é que ele criticava empresários, banqueiros e políticos de todos os espectros.

*

REPERCUSSÃO – Nas horas, e até dias, após a notícia de sua morte, o clima foi de comoção geral, algo que eu não via desde a morte do piloto Ayrton Senna, em 1994. A Band News FM saiu do ar por alguns instantes, pois nenhum apresentador tinha condições de realizar seu trabalho. Nas horas e dias seguintes só o que ouvimos na rádio foram apresentadores bastante emocionados, chorando muito.

Muitas foram as personalidades que prestaram depoimentos ao jornalista. Um em particular me chamou a atenção, o jornalista Milton Jung, da rádio CBN, que – chorando muito – disse o quanto Boechat faria falta etc. Chamou-me a atenção porque Jung era o concorrente de Boechat. Ambos disputavam a audiência no horário da manhã.  Tal mostra como o jornalista era respeitado no meio.

*

SUBSTITUTO – Especula-se agora quem será o substituto do jornalista no horário da manhã. Alguém postou numa rede social que poderá ser William Waack, mas acho pouco provável, é só imaginar o quadro diário com o humorista José Simão. Waack não tem perfil.

Quem tem um perfil parecido com o de Ricardo Boechat é o jornalista Chico Pinheiro, que vive às turras com a rede Globo. Seria um substituto à altura.

No entanto, o sucessor deverá ser mesmo o jornalista Eduardo Barão (foto), que dividia a apresentação do programa com Boechat. Barão tem um enorme potencial, conseguirá tranquilamente “tocar o barco”, ao lado da também jornalista Carla Bigatto, que auxiliava a dupla.

*

BLOG DA CHRIS – Desde a última segunda-feira o Blog da Chris ganhou uma cadeira no programa Política em Debate, que vai ao ar de segunda a sábado a partir das 12h, na Difusora AM. A blogueira Christianne Alves divide a bancada com Emerson Linhares, Wellington Morais, Gilberto de Sousa e Paulo Linhares.

A voz feminina de Christianne Alves tem muito a acrescentar ao programa. Bem relacionada, seus comentários têm somado bastante aos debates. A receptividade tem sido muito boa.

*

CONSTRUÇÃO IRREGULAR – Um frequentador assíduo da praia do Ceará entrou em contato com o blog para denunciar o que ele considera uma construção irregular. Segundo ele, a pousada Rainha do Mar, que fica logo no início da praia, vem, aos poucos, avançando em área pública. Tudo sem que as autoridades tomem as devidas providências.

No início, a Rainha do Mar era apenas uma barraca, que ocupava uma área pequena, igual as demais barracas da região, mas aos poucos começou a se expandir, e como não foi obstaculizada pelas autoridades de Icapuí (CE), ela passou a ser um restaurante de alvenaria com área de lazer, uma pousada e agora está sendo construído um piso superior e um estacionamento, tudo ao lado de uma placa que informa ser proibido ocupar espaço público.

*

FAKE NEWS – A tática de usar notícias falsas para denegrir reputações continua a todo vapor. Basta alguém se voltar contra o governo de Jair Bolsonaro para os robôs, idealizados por Steve Bannon, entrem em ação.

Os robôs são perfis falsos, criados com o único intuito de denegrir imagens e repassar notícias falsas. Milhares desses robôs publicam uma fake news, a qual começa a se espalhar na net feito pólvora. Daqui a pouco há pessoas reais, menos informadas, acreditando e divulgando aquilo. Assim surgiu o kitgay, a blusa anticristo de Manuela D’Ávila, o carro importado de Haddad (que nem carro tem) etc etc etc. E assim Bolsonaro venceu a eleição.

O que não imaginei era que a tática continuaria sendo largamente utilizada mesmo após o presidente empossado. Tal mostra que esse grupo político não quer receber nenhum tipo de crítica, quer governar sem oposição, assim como Nicolás Maduro, que eles tanto criticam.

No Brasil, quem criticar Jair Bolsonaro se torna uma vítima iminente de toda sorte de campanha difamatória, sórdida.

*

BUROCRACIA – Nos últimos sete anos, a indústria farmacêutica deixou de realizar testes em 246 novos fármacos, tudo por causa da burocracia estatal. Com isso, o país perdeu R$ 490 milhões  em investimentos. Os dados são da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma).

*

DESESTIMULAR O CONSUMO – Em 2014 o governo chileno aumentou em 18% o imposto sobre refrigerantes. A iniciativa fez parte de uma política para diminuir casos de obesidade e diabetes no país. De lá para cá o consumo diminuiu 21%, o que provavelmente deve ter ajudado no combate às enfermidades citadas.

*

POLARY – Falando nisso, descobri esses dias que o amigo Alex Polary, filho do chargista Brito Silva, foi de mala e cuia para o Chile, onde trabalha no setor de turismo. Quem quiser acompanha-lo no Instagram é só seguir o perfil @seuproximoroteiro. Esse Polary é danado mesmo. Desejo-lhe sucesso, nobre amigo.

*

TRÂNSITO TRAVADO – O ponto mais crítico do trânsito mossoroense é a rotatória da UERN. Em horários de pico o local vira um “Deus nos acusa”. Motoristas que trafegam pela via local encontram grande dificuldade para atravessar a BR, vez que o fluxo de carros é ininterrupto. São muitos veículos vindos da Ufersa e outros tantos se dirigindo para o Conjunto Vingt Rosado, o Residencial Ninho etc.

A pior situação é de quem vem da UERN. Atravessar a BR é uma tarefa que exige muita paciência. A situação exige uma solução imediata.

*

SEGUNDA OPINIÃO – Muitos pacientes, especialmente aqueles diagnosticados com doenças complexas, procuram um segundo médico a fim de confirmar o diagnóstico. A empresa Advance Medical acompanhou cerca de 500 pacientes brasileiros que fizeram uma segunda avaliação.

O estudo mostrou que em 39% dos casos o diagnóstico foi alterado, e que o tratamento indicado foi diferente em 61% dos pacientes.

Os números brasileiros ficam próximos da média mundial, disse a empresa.

*

CINE-TIO – Nesses tempos de possíveis mudanças no tratamento de pacientes com distúrbios mentais, é essencial assistir ao filme “Nise – O Coração da Loucura” (2015). A película mostra a história real da psiquiatra Nise da Silveira (Glória Pires), que revolucionou o tratamento psiquiátrico no país, isso nos anos 40.

Ao chegar num manicômio para trabalhar, a doutora Nise se deparou com doentes mentais negligenciados, agredidos e sendo tratados clinicamente com lobotomias e eletrochoques. Mesmo enfrentando resistências dos pares, ela humanizou o tratamento, introduzindo teorias ocupacionais, com sessões de pintura e modelagem, além de utilizar cães para ajudar nas terapias.

Doutora Nise revolucionou a psiquiatria no Brasil. Em 2001 os manicômios foram extintos, assim como foram proibidas as lobotomias e os eletrochoques. Atualmente, quem sofre de distúrbios mentais tem tratamento humanizado nos CAP’s espalhados em todo o país, em moldes semelhantes aos adotados pela doutora Nise.

O filme é essencial para entender o avanço da psiquiatria no país.

  *

BROWNIE – Agradeço aos que fazem a Brownie da Vovó o envio de alguns itens do cardápio para degustação. Provei um pouco do brownie de chocolate, após colocar uns segundos no micro-ondas. Realmente muito saboroso, um primor, pena que a diabetes não me permite avançar muito nas garfadas. O leitor pode se inteirar mais através do Instagram @browniedavovo_, e fazer pedidos através do 99169-8754.

*

NÃO RECOMENDO – O blog também recebeu um produto para degustação de outra loja, neste caso no setor de massas. Confesso que não gostei. Agradeço demais o envio, mas recomendo que se esforcem mais para oferecer um produto de melhor qualidade.

*

SUGESTÕES/CRÍTICAS – Esta coluna é atualizada às sextas-feiras, sempre às 04h59. Sugestões e críticas podem ser enviadas para o número 99648-2588 (WhatsApp).

3 Comentários

  1. Amigo uma boa tarde. No que se refere sobre a prefeita tentar pegar carona na pouca melhoria do emprego em mossoró. Não é estranho, como em outras vezes a prefeita quer se projetar numa coisa que ela pouco teve participação. E já que o assunto é a prefeita. Peço licença para expor essa minha opinião. Existem centenas de trabalhadores e trabalhadoras que prestam relevantes serviços nas repartições públicas da prefeitura através das empresas terceirizadas, esses trabalhadores e trabalhadoras estão sem receberem seus pagamentos a mais de 10 ou 12 meses. Será que essa senhora prefeita, em algum momento faz uma avaliação da real situação que passam as famílias desses trabalhadores? Esse fato pra mim que sou pai de família, é de uma maldade sem precedentes da prefeita Rosalba. Pois será que não dava para fazer um pequeno esforço e ameniza essa situação dessas famílias? Poderia você nos trazer através deste espaço (Na medida do possível) Algumas notícias sobre a real situação desses trabalhadores das empresas terceirizadas? Pois sempre que posso, dou uma leitura todos os finais de semanas nas notícias e comentários que você nós trás. Um abraço e um ótimo fim de semana.

  2. Vale salientar que não sou funcionário de neuma das empresas terceirizadas que prestam juntamente com seus trabalhadores e trabalhadoras serviços a prefeitura de Mossoró. Me solidarizo com todos, pelos os sofrimentos que passam com seus familiares.

  3. TRÂNSITO TRAVADO – É lá e no resto da cidade. Na rua por trás do Mater Christi é uma calamidade, e recentemente se perdeu a paciência e a rua agora é de duas mãos! Para chegar lá vindo das bandas da BR também é desagradável, e em qualquer ponto de onde se veja sinal verde não é vista a correspondente e esperada movimentação de carros (ou seja, o sinal abre-se, mas a inércia continua). Uma melhora seria fechar o canteiro da Diocesana em frente da Raimundo Leão (fundos do Eliseu Viana). Por duas vezes já, estive para bater em motoqueiro que fez o “U” nesse canteiro – uma sorte que não acudiu a um conhecido, que foi atropelado por motorista não identificado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome