O MEDO DOMINA OS MOSSOROENSES

0

 

01 – Numa matéria sobre os números da violência na cidade de São Paulo, publicada na edição n.º 2.053 da revista IstoÉ, consta que em 2008 houve 4.690 homicídios naquela cidade, o que resulta numa média de 43,42 assassinatos por grupo de 100.000 pessoas, vez que na capital paulista há 10.800.000 habitantes (IBGE, 2007). Ao fazer um comparativo com Mossoró descobri que nossa situação, incrivelmente, é pior do que a dos paulistas. Em 2008 houve 118 homicídios para um universo de 234.000 habitantes (IBGE, 2007), o que resulta numa média de 50,42 homicídios por grupo de 100.000 habitantes. A comparação denuncia que em números relativos há mais homicídios aqui na capital do oeste potiguar do que na terra da garoa. Além do elevado índice de homicídios, também é assustador o números de furtos, roubos e arrombamentos a lojas e residências. Diariamente somos informados, através da imprensa, de dezenas de ocorrências policiais, o que nos dá uma sensação de medo e insegurança constantes. A impressão é que estamos à mercê da bandidagem. Quem ainda não foi vítima da violência pode se considerar um sortudo, pois a polícia não tem estrutura para defender o cidadão de bem da ação daqueles que estão no submundo da criminalidade. As viaturas policiais estão sucateadas e os policiais trabalham com armas obsoletas. Recentemente tivemos em Mossoró uma audiência pública para tratar do assunto, oportunidade em que houve vários discursos inflamados criticando as autoridades e apontando soluções. Tinha muita gente mais preocupada em aparecer do que em solucionar o problema, no entanto, da audiência pública surgiu um grupo de autoridades locais que pretende se reunir costumeiramente para acompanhar as ações em prol da segurança pública e apontar soluções cabíveis. Mossoró inteira espera uma solução rápida para tão grave problema.

 

02 – CARLOS BAR – A reunião do Copão ontem lá em Carlos Bar começou por volta das 19h e se estendeu até às 2h30. Foram iniciados o economista e blogueiro Carlos Escóssia, o advogado Osório Sampaio, o jornalista e músico William Robson e o corretor Valcimon.

Noutra mesa, fazendo uma ponte, alunos do curso de Comunicação Social da UERN, entre eles Stênio Max, Bruno Soares e Allan Erick.

Como não poderia deixar de ser, veio a tona a discussão acerca do vídeo produzido por alguns alunos do curso de comunicação social da UERN, habilitação em propaganda e publicidade.

Como eu já estava em outra discussão, sobre rinha de galos, entre Bosco e Osório, não pude participar da troca de ideias que estava ocorrendo na mesa ao lado, no entanto, soube que a turma gostou do Carlos Bar, assim, sinto que numa próxima oportunidade poderei ter a honra de participar dos salutares debates.

 

03 – ATUALIZAÇÃO – Agradeço ao amigo Paulo Filho, por ter atualizado o blog ontem trazendo sua abalizada opinião sobre o trabalho acadêmico, em formato de vídeo, produzido pelos alunos do curso de Comunicação Social da UERN, habilitação em Publicidade.

 

Ouvindo APARÊNCIAS, com CHITÃOZINHO E XORORÓ, encerro esse post.

Ainda sobre os estudantes dançarinos da UERN:

0

 

Nesta quarta-feira (27/03), o curso de Comunicação Social da Universidade Federal de Pernambuco promoveu, no Centro de Artes e Comunicação, um evento para a divulgação de publicações com temática social produzidas por seus estudantes, especialmente os da graduação de Jornalismo.

A segunda publicação, o Jornal-laboratório “Outrossim: idéias abertas sobre corrupção”, foi produzido pela turma que hoje está no sétimo período do curso de Jornalismo, com a coordenação da professora Wilma Morais e da jornalista Gorete Linhares (Depto. de Comunicação Social/UFPE). O jornal tematiza a corrupção em vários aspectos, produzindo interfaces interessantes com um leque de assuntos que incluem o cotidiano, a linguagem, a mídia, etc.

O objetivo dos alunos foi abordar o tema diferentemente do que é visto na grande mídia, buscando uma discussão mais ampla, para além do factual. Essa forma de abordagem desperta para a responsabilidade que cada indivíduo tem sobre a questão da corrupção social.

Concebido e produzido pelos alunos, o Outrossim é resultado de uma parceria entre a Universidade Federal de Pernambuco e a Controladoria Geral da União (CGU/PE), que ajudou nas discussões iniciais sobre o tema, viabilizou financeiramente a publicação e fez uma distribuição de exemplares nos municípios onde atua.

Nota: Deu para entender a diferença entre os alunos da Universidade Federal de Pernambuco e os alunos/dançarinos da UERN?  O vídeo produzido pela UERN é pobre, falta conteúdo, sequer tem graça, mas é condenável tão somente por que seus alunos/dançarinos inseriram-no  usando o nome da instituição, afirmando se tratar de um trabalho acadêmico. O que as pessoas que estão além dos muros acadêmicos pensariam a respeito? No mínimo, que a UERN, através do seu curso de Publicidade e Propaganda orienta seus alunos a produzirem essas bizarrices. Sugiro aos alunos que podem continuar a produzir essas “pérolas”, mas em conteúdo privado, sem usar o nome da instituição. Sugiro ainda que ao serem instigados pelos seus mestres a produzirem material, procurem se esmerar para fazer algo de qualidade. Sugiro ainda que se espelhem nos colegas pernambucanos. Sugiro ainda, que se acharem por bem, não aceitem essas sugestões.

Sexta-feira , 27 de Março de 2009

0

Atenção! Quero falar com vocês uma coisa da máxima importância: Hoje é sexta-feira, rapá. Logo mais tem reunião da equipe econômica do COPÃO lá em Carlos Bar para decidir as TAXAS…de colesterol.

Dia destes eu estava lá no Pittisburg quando dois sujeitos na mesa ao lado a todo instante comentavam sobre ingredientes e o sabor do sanduíche. A conversa era meio tosca: “este pão é assim”, “este hambúrguer é daqueles”, “a alface está bem crocante”, etc. Eu já estava desconfiando daqueles dois, ai a confirmação, a carimbada, veio quando um deles disse que gostava de ketchup por causa “de seu gostinho agridoce”. Logo conclui: Esse ai é caranguejo do mesmo balaio de Ronaldo Ésper.

Até o presidente Lula da Silva anda dizendo o que é coisa de macho. Dias atrás ele disse que faltar ao trabalho por causa de uma gripe não é coisa de macho. O cara homem, ainda segundo Lula, não deixa de trabalhar uma única hora por causa de uma gripezinha. Eita Lula véi, nordestinho de sangue na guelra, incansável em seu palavrório.

O cara chega pedindo esmola e a dona-de-casa sapeca:

– Você tão novo, vá trabalhar.

– Minha senhora, estou pedindo esmola, né conselho não.

Ei, o que você acha do cara que as músicas o fazem sonhar, imaginar situações e abrir a mente. Sinceramente, Isso é coisa de menino criado pela avó.

O colunista social Georgiano Azevedo escreveu ontem em sua bombadérrima coluna que a coleção outono-inverno 2009 do estilista Arthur Caliman acabada de rechear as araras da Maison Tráfego. Ainda segundo o prestigiadíssimo colunista, a coleção está PURO GLAM. Pois é, quem deverá correr e aproveitar as novidades será o nosso Maninho. Afinal, dias atrás o vi lá no Carlos Bar com um calção que era puro glam, talvez já fosse uma peça da coleção outono-inverno do estilista Arthur Caliman.

Deus me perdoe, se é pecado

Mas eu queria ser fita

Só para andar na cintura

Duma cabocla bonita.

Abelardo Barbosa! Está com tudo e não está prosa.

Essa é pra quem gosta de charadas. Na frase “Veja o extravagante salto da raposa sobre o cachorro que dorme feliz”, há uma característica bem peculiar, referente à ortografia. Você seria capaz de dizer que característica seria esta?

Ainda estou por decidir sobre aplicação de luzes no cabelo por parte de homens. Será coisa de macho mesmo?

Num quiosque da Praça da Convivência, dois rapazes sentam-se a uma mesa, frente a frente, e se posicionam do mesmo modo: os calcanhares ficam sobre a mesa e as mãos cruzadas apóiam o queixo. Pedem alguma bebida que é servida com canudinho e assim ficam por bastante tempo. Preciso dizer alguma coisa?  

E vamos que vamos, os espero logo mais no velho Carlos.

 

01 – QUEDA DO FPM? TAMBÉM – Não é segredo que a maioria dos municípios de pequeno porte do país passa por dificuldades financeiras decorrentes da redução dos valores repassados pelo governo federal, o chamado FPM (Fundo de Participação dos Municípios). Contudo, há muitos prefeitos que estão se aproveitando da situação para escamotear gastos excessivos e desnecessários com cargos comissionados e empresas contratadas. Caso o leitor tenha interesse em saber quanto seu município vem recebendo de recursos basta acessar o link [https://www13.bb.com.br/appbb/portal/gov/ep/srv/daf/index.jsp] , nele consta todos os depósitos feitos na conta do município, como royalties, Fundeb, Fundef, FPM, ICMS, entre dezenas de outros. Seja um cidadão consciente, fiscalize o recebimento e aplicação dos recursos públicos.

 

02 – DIX-SEPT ROSADO – A prefeitura de Governador Dix-sept Rosado ainda não cumpriu o acordo de aumento dos vencimentos feito com o funcionalismo público, o que vem causando certa inquietação na categoria, sobretudo depois da notícia de que o próximo pagamento, o de março, também não virá com reajuste. Nem mesmo os que recebem o salário mínimo tiveram seus vencimentos reajustados. A prefeitura também já anunciou que não realizará evento festivo no próximo dia 04 de abril, aniversário da cidade. A comemoração se limitará a uma missa.

 

03 – COLUNISMO SOCIAL – Os colunistas sociais de Mossoró e região existem para alimentar o mito de que os colunáveis possuem dinheiro, pois o importante para uns não é exatamente ter dinheiro, mas transmitir a ilusão de que se tem. Os não materialistas ficam sem entender bem o porquê deste propósito, mas que ele existe, existe.

 

04 – CONDECORAÇÃO – Amanhã às 19h o senador Garibaldi Filho (PMDB) receberá, em São Paulo, a Medalha Ipiranga, que é a mais alta comenda daquele estado. O evento será no Palácio dos Bandeirantes.

 

05 – ASFALTO – Como ocorre todos os anos, muitas avenidas da cidade (sempre as mesmas) ficam completamente danificadas após as primeiras chuvas. O trânsito se torna lento e, consequentemente, aumenta o estresse dos motoristas. Neste período os donos de oficinas mecânicas não têm do que reclamar, pois os pátios ficam lotados.

 

Quando o período chuvoso termina as avenidas são recapeadas com um material de baixa qualidade, o que contribui para que todos os anos a situação se repita. Resta saber a quem interessa a realização destes constantes remendos. Uma solução seria o contratante exigir da empresa contratada um prazo de garantia para a obra. É tão simples…

  

 Ouvindo DUST IN THE WIND, com SCORPIONS, encerro esse post.

TRIBUNAL DO JÚRI CONDENA MANOEL ZILDO

0

 

 

Em sessão realizada na manhã-tarde de hoje na Comarca de Governador Dix-sept Rosado, os sete jurados, por MAIORIA de votos, condenaram o senhor Manoel Zildo de Almeida por homicídio qualificado, levando a magistrada a fixar a pena em 12 anos e 6 meses de prisão, em regime fechado.

Manoel Zildo foi julgado por ter matado, com um tiro, o popular “Tião de João Vermelho”, fato ocorrido no longínquo 08 de agosto de 1985, na calçada da agência local do Banco do Brasil.

 


 

A defesa do acusado foi feita pelo advogado Anchieta Costa Lima (foto acima), que apresentou a tese de legítima defesa, já a acusação ficou por conta do promotor de Justiça Antônio Cláudio Linhares (foto abaixo).

 

 


 

A sessão foi presidida pela juíza de Direito Welma Menezes (foto acima).

 

Hoje pela manhã, algumas pessoas sorteadas para a lista dos 25 – da qual são sorteados sete para o Conselho de Sentença – demonstravam certo receio, vez que, segundo eles, a população não havia aceitado a absolvição ocorrida na última terça-feira. Sentiam-se pressionados.

 

Ao conversar com algumas pessoas logo após a sessão de hoje, estas disseram que tal insatisfação mostrada pela população em decorrência da absolvição de terça pode ter indiretamente contribuído para a condenação do acusado Manoel Zildo.

 

Tais análises, contudo, residem no campo da subjetividade.

 

Aproveito o ensejo para esclarecer que as duas decisões foram por maioria de votos, não houve unanimidade em nenhuma delas.

 

 

Na terça-feira a defesa ficou a cargo dos advogados Abraão Dantas e Francisco de Assis (acima)

AI É ESCULHAMBAÇÃO

0

 

01 – O jornalista/colunista Ricardo Boechat informa na sua coluna na revista IstoÉ que um novo escândalo está para eclodir no Senado Federal. Segundo Boechat, um senador foi reembolsado pelo Senado Federal de uma cirurgia para colocação de prótese peniana. O nome do santo ainda não foi revelado.

Ante as poucas informações dadas por Boechat, procurei detalhes noutros sites, quando então descobri que a divulgação ou não deste novo escândalo está sendo discutida entre os integrantes do partido político que está de posse das provas. O partido está decidindo se a divulgação será boa ou não politicamente. E o interesse público, hein? Tem quem acredite que há na atividade política algo voltado para o bem público…

 

02 – FÓRMULA 1 – A partir de 2010 vencerá o campeonato de Fórmula 1 o piloto que conseguir mais vitórias, independentemente da pontuação. Caso esta regra tivesse sido aplicada já no ano passado, Massa teria sido o campeão, pois ele teve seis vitórias contra cinco de Lewis Hamilton. Os pontos continuarão sendo contados, mas valerão apenas como critério de desempate e para definição de lugar no pódio. As mudanças seriam aplicadas já neste ano, mas ante a pressão das equipes, a FIA a adiou para 2010.

Muito obrigado aos nobres leitores que fizeram a retificação.

 

03 – CAUSOS DA IMPRENSA NACIONAL – Nos idos de 1950, o jornalista David Nasser escreveu na revista O Cruzeiro um artigo desfavorável à construção de Brasília pelo presidente Juscelino Kubitschek. O dono da revista, Assis Chateaubriand, não gostou nada do artigo e então os dois travaram o seguinte diálogo:

(Assis) – Só você insiste em ser contra, turco maldito.

(Nasser) – Eu tenho mina opinião.

(Assis) – Opinião? Se você quer ter opinião compre uma revista.

(Nasser) – Se o senhor quer um jornalista sem opinião, compre um. Eu me demito.

  Depois os dois fizeram as pazes.

 

04 – CRATERAS – Como acontece religiosamente todos os anos, algumas avenidas ficam repletas de buracos quando do período chuvoso. A Silva Jardim, aqui na Boa Vista, está completamente esburacada, de ponta a ponta. O tráfego por esta via está ficando muito difícil.

 

05 – FOCO – Os matutinos de Mossoró destacaram em suas manchetes principais a presença da governadora Wilma de Faria em nossa cidade. A Gazeta do Oeste e O Mossoroense destacaram, corretamente, o teor administrativo da visita, mas o DeFato resolveu destacar a politicagem, com a manchete: “2010: Wilma diz que lealdade vai pesar na escolha de nome”. Quando vão perder esta mania de valorizar a politicalha em detrimento das ações administrativas?

 

06 – PEQUENO – Desculpem-me o número reduzido de notas, mas tenho que sair mais cedo para trabalhar na sessão do Tribunal do Júri que terá início em poucos instantes na Comarca de Governador Dix-sept Rosado.

 

Ouvindo AS SETE VAMPIRAS, com LÉO JAIME, encerro esse post.

RÉU É ABSOLVIDO DE CRIME DE HOMICÍDIO

0

 

– Na sessão de ontem do Tribunal do Júri da Comarca de Governador Dix-sept Rosado, os sete jurados, por maioria de votos, absolveram Carlos Augusto Rodrigues da Costa (Didi) da acusação de homicídio.

Segundo o relato policial, o acusado, no final de 2007, matou o agricultor Arenilson de Paiva (Nilsinho) por causa de um cigarro, fato ocorrido num bar da cidade.

Durante o julgamento, a acusação ficou por conta do promotor de Justiça Hermínio Peres, que pediu a condenação do acusado por homicídio duplamente qualificado (motivo fútil e surpresa), já a defesa ficou a cargo dos advogados Abraão Dantas e Francisco de Assis, que apresentaram cinco teses defensivas.

Quando da votação, os jurados acolheram a tese defensiva de legítima defesa, absolvendo o acusado, que saiu da votação livre.

O promotor se mostrou contrariado com a decisão dos jurados, segundo ele contrária ao que tem no processo, e já avisou que recorrerá.

A sessão foi presidida pela juíza de Direito Welma Menezes.

 

O Tribunal do Júri voltará a se reunir amanhã, quando vai a julgamento o processo n.º 140.87.000003-8, em que Manoel Zildo de Almeida é acusado de matar Sebastião Batista de Souza (Tião de João Vermelho), fato ocorrido no dia 08 de agosto de 1985, por volta das 8h40, nas proximidades da agência local do Banco do Brasil. O acusado estava foragido em Porto Velho (RO) e foi preso após requerer um auxílio-doença perante o INSS daquela região, oportunidade em que o sistema acusou a existência de um Mandado de Prisão em desfavor do acusado. Sua defesa ficará a cargo do advogado Anchieta Costa Lima.

PRÁTICA ANTIGA, MAS AINDA UTILIZADA

0

 

01 – No início do Século XX, lá pelo ano de 1910, Assis Chateaubriand tinha 17 anos e iniciava sua vida jornalística como articulista de um pequeno jornal em Recife. Nesta mesma época, havia uma contenda de titãs envolvendo os escritores José Veríssimo e Sílvio Romero. Ambos inclusive escreveram livros unicamente para atacar o desafeto (sugiro até que comprem estes livros aqueles que gostam de atacar mas que não tem cacife).

Chatô, esperto desde menino, viu naquela contenda a oportunidade de levar seu nome para todo Brasil. Sua intenção era entrar na briga mesmo sem ser chamado e, uma vez brigando com um grande, poderia ter seu nome difundido quando da resposta do ofendido.

Com essa ideia, Chateaubriand publicou cinco longos artigos, no Jornal Pequeno, criticando o escritor Sílvio Romero. Os artigos foram transformados em um livro e este foi entregue anonimamente ao ofendido, no Rio de Janeiro.

Chatô então passou a esperar ansiosamente o revide de Sílvio Romero, o qual lhe traria fama e publicidade.

Grande foi a decepção do incipiente jornalista quando o revide veio apenas em duas linhas e ainda assim sem menção direta a qualquer nome. Escreveu sabiamente Sílvio Romero:

 

“Condeno-o ao perpétuo desprezo, que é o que merece a audácia de um aspirante da literatura. Jamais me ocuparei da sua pessoa ou de seus fracassados pendores críticos e literários”.

      

Assim, em duas linhas, Sílvio Romero revidou um livro inteiro.

Este foi o início, não exitoso, de Chateaubriand no jornalismo. Anos depois, contudo, ele se tornaria o maior jornalista do Brasil.

Trouxe este caso apenas para mostrar como a prática antiga de atacar pessoas mais qualificadas e de maior “audiência” com objetivo de ganhar visibilidade são usadas com freqüência até hoje.

Sabiamente faz quem age como Sílvio Romero.

 

02 – TIO COLORAU ENTERTAINMENT – O jornalista Mário Gérson indicou e eu assisti ao filme Os Segredos de Beethoven **** (2006), uma película muito boa, que mostra um pouco da vida e da obra deste grande compositor. Mostra que ele tinha um temperamento bastante difícil, o que praticamente inviabilizava sua vida em sociedade. Outra curiosidade retratada no filme é a surdez de Beethoven, a qual não o impediu de criar suas obras.

 


 

O nacional Entre Lençóis * (2008) é quase um filme pornô. O filme se passa exclusivamente num quarto de motel, onde um casal transa e conversa, transa e conversa, transa e conversa… apenas isso. Com Reynaldo Gianecchini e Paola Oliveira.

 


 

A comédia Segurando as Pontas ** (2008) mostra dois viciados em droga fugindo da polícia e de um grande traficante, tudo porque eles descobriram e estão de posse de uma erva especial.

 


 

No suspense policial Sob Controle *** (2008), dois agentes da FBI investigam um crime bárbaro ocorrido numa pequena cidade. A suspeita recai sobre os policiais locais, sabidamente corruptos. Há enorme tensão entre os agentes e estes policiais. No fim vem à tona uma verdade bem diferente.

 


 

No nacional Estômago **** (2007), sugerido por Stênio Muniz, um nordestino chega a São Paulo e logo descobre sua aptidão para a cozinha. Inicialmente vai trabalhar numa lanchonete pequena, mas logo consegue colocação melhor. Sua aptidão lhe abre várias oportunidades, inclusive na penitenciária.

 

Com exceção de Os Segredos de Beethoven e Estômago, os demais filmes são bem fraquinhos. Não tive sorte com minhas escolhas neste fim de semana.

 

03 – CRÍTICA CONSTRUTIVA – Alô, senhor responsável pelo setor comercial da FM Resistência, a publicidade exagerada da Vaquejada do Parque Porcino Costa está surtindo efeito contrário. Quatro ou cinco pessoas já vieram me dizer, inclusive sugerindo que eu escrevesse aqui, que deixaram de ouvir a FM por que não suportam mais a exagerada publicidade da citada vaquejada.

Disse um deles que dos 60 minutos do programa FM 7 Horas, aproximadamente 40 é dedicado a publicidade em geral, e boa parte deste espaço é preenchido com os insistentes anúncios da vaquejada. 

“Daqui até a vaquejada somente ligarei a FM 93 no horário do Observador Político. Não suporto mais”, disse-me uma das pessoas com quem este blog teve contato.

Antes que me ataquem, esclareço que escrevo esta nota como um ouvinte da rádio. Opinião esta compartilhada por outros ouvintes. 

 

04 – CONHEÇA SEUS DIREITOS – Na edição de amanhã do programa Conheça seus Direitos, o advogado Lindemberg Lima tratará de formas legais de cobrança e inclusão do nome do devedor nos órgãos de proteção ao crédito. Na apresentação, o jornalista Marcos Antônio. Das 20h às 21h, na TV Mossoró.

 

05 – JÚRI – Começará daqui a pouco, às 8h, na Câmara Municipal de Governador Dix-sept Rosado, a primeira sessão do Tribunal do Júri deste ano. Irá a julgamento o processo n.º 140.08.000004-4, em que Carlos Augusto Rodrigues da Costa é acusado de assassinar, no dia 17 de setembro de 2007, o autônomo Arenilson Antônio de Paiva. Os dois teriam discutido por causa de um cigarro que a vítima negou ao pai do acusado. O fato ocorreu num bar localizado na rua Manoel Joaquim. A defesa caberá aos advogados Francisco de Assis, Abraão Dutra e José Galdino.

 

Ouvindo ZÉ QUALQUER E CHICA BOA, com JESSIER QUIRINO, encerro esse post.

Neoliberal não, liberal

0

 

04 – TIO COLORAU BOOKS – Conclui a leitura de Neoliberal não, liberal. Para entender o Brasil de Hoje e de Amanhã, 166p, de Carlos Sardemberg. No livro, o jornalista traz inúmeras comparações entre o governo Fernando Henrique Cardoso e o governo Lula, mostrando basicamente que um é a continuação do outro. Sardemberg trata de privatizações, reformas, programas sociais, modelos de governo, crise financeira atual, entre outros assuntos diretamente ligados à economia e a política.

 

05 – MUDANÇAS – Em menos de trinta dias nossos leitores serão apresentados a um layout mais moderno, com mais recursos de interação. O trabalho vem sendo feito pelo webmaster Alexandre Marques. Aguardem!

ALGUNS ALUNOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL FICARAM UMA ARARA

0

 

 

Art. 5º da Constituição Federal:

IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

 

Na última quinta-feira alicercei-me na figura constitucional da liberdade de expressão (por certo desconhecida por alguns alunos) para criticar esse vídeo, produzido pelos alunos de Comunicação Social, habilitação em Publicidade, da UERN. Um vídeo que julguei, ainda dentro de minha liberdade de expressão, desalentador e, assim como a teoria da maçã podre, uma mostra do nível do curso de comunicação social da UERN.

Inocentemente pensei que a maioria lamentaria, assim como eu, a qualidade do vídeo, mas ocorreu justamente o contrário. Os alunos do curso de Comunicação Social se arvoraram em defendê-lo, criticando-me acidamente, dizendo que, como não sou formado em Comunicação Social, jamais entenderia a qualidade inserta no vídeo. Leia alguns trechos de comentários inseridos por alunos na comunidade do curso no Orkut.

 

(…) mas é insensatez tentar argumentar dentro do campo midiático e acadêmico com um prático que está simplesmente defendendo o velho argumento do tecnicismo para ser um jornalista.

O que realmente me preocupa é se apoderarem do jornalismo para produção de conteúdo evasivo, sem qualquer preocupação com os fundamentos desta atividade.

 

Aliás, vocês deveriam ganhar um 10 (…) Não vamos nos abalar com as críticas pois são resultado de um desespero crescente daqueles que em pouco tempo serão jubilados por uma geração de jornalistas,radialistas e publicitários bem mais ética e competente. 

 

(…) só nos fazem perceber o quanto estes ditos “profissionais” temem os que estão aqui na academia buscando qualificar-se para este mercado tão amador.

 

Parabéns a todos os produtores do vídeo!!!!!!

 

A internet, como já disseram muitos, democratiza a informação, mas possui seus efeitos COLORAIS, digo, colaterais que são, na maioria das vezes, danosos. 

 

Primeiramente, os professores precisam deixar de ensinar os alunos a imitarem o RBD e ensinar-lhes a diferença entre material jornalístico e coluna de opinião. Algo básico, no meu sentir.

Este blog é essencialmente de opinião. Não tenho pretensão de ser jornalista, até porque escrevo este espaço por mero hobby. Sou bacharel em Direito e compro meu feijão com os vencimentos do cargo público que exerço. Não me vejo ocupando o espaço de ninguém.

Sinto em algumas opiniões um rancor enorme dos alunos em relação aos que eles chamam de “práticos”. Eles os veem como inimigos, como desafetos etc. É como se os formados integrassem o jornalismo sadio e os práticos exercessem um jornalismo doente.

Não quero entrar no mérito desta discussão, acho-a uma tremenda bobagem. Há mecânicos práticos que descobrem defeitos no carro não vistos por mecânicos formados em cursos técnicos.

Anos atrás, por exemplo, eu possuía uma moto e esta apresentava um defeito no motor. Perguntei a um engenheiro amigo, que trabalhava na Honda, qual era o defeito. Depois de algumas análises ele me disse que não poderia me dizer naquele instante, mas iria estudar. Ato contínuo, levei o problema para um mecânico, analfabeto, e ele, em menos de dois minutos, já apontou a razão do defeito.

Outro caso é Pelé, considerado o maior jogador de futebol de todos os tempos, mas que não entende nada de tática e técnica. Ao contrário, Luxemburgo foi um jogador medíocre, mas é um dos melhores técnicos de futebol da atualidade. 

O “canudo” não garante talento nem uma boa escrita.

Conheço pessoas já formadas em Comunicação Social, habilitação em Jornalismo, pela UERN, que escrevem em desacordo com as regras da imparcialidade e da correta apuração dos fatos. Pessoas que usam espaços para enganar e distorcer situações. Ou seja, há bons e maus jornalistas no campo dos práticos e também no campo dos possuidores de “canudo”. Diferenciar os grupos de forma maniqueísta demonstra um senso equivocado, uma inocência, ou, quem sabe, má-fé.

Não quero polemizar, não quero atacar e nem defender ninguém, quero apenas exercer meu direito de emitir OPINIÃO, garantido na Lei Mãe do país.

E, ainda exercendo este direito, fico triste ao saber que o vídeo citado seja tão defendido por alguns alunos de Comunicação Social, que o consideram irreprochável. Procuram na teoria explicar algo tosco e vergonhoso.

Fico assim a me perguntar: Então eu terei que ler livros e mais livros teóricos e assistir a muitas aulas para ENTENDER a maestria daquele vídeo? Essa turma está cega, doida ou o quê?

Será que os pais desses meninos sabem que eles estão indo para a UERN fazer isso?

Ora, reconheçam a ínfima qualidade do vídeo e deixem de levar isso para o maniqueísmo tolo de classificar em bons os formados e em maus os “práticos”. Deixem essa asneira de dizer que “prático” tem medo de jornalistas formados.

Vamos usar nosso senso crítico e deixar de defender o indefensável. Ora, bolas.

Encerro desejando sucesso para todos, apesar dos pesares. Que Juno abençoe a todos, os práticos e os não práticos.

 

 

 

 

 

 

   Ouvindo BREATHE, com U2, encerro esse post.

A POLÊMICA DO PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS

0

 

01 -Segunda-feira, o jornalista Pedro Carlos escreveu em sua prestigiada coluna neste jornal acerca das incongruências envolvendo o preço dos combustíveis. Ele se mostrava indignado porque o preço do litro da gasolina se mantém o mesmo enquanto o preço do barril de petróleo está custando aproximadamente US$ 50,00, quando já chegou a custar US$ 150,00. No entender de Pedro Carlos, bem como daqueles que usam a lógica, o preço da gasolina deveria estar bem menor. A indignação do jornalista me contagiou e então fui pesquisar o assunto, conversando com pessoas que trabalham no setor, lendo na internet e em revistas. Por fim, entendi o porquê de o preço do combustível não ter oscilado para baixo. Não concordei, mas entendi. Ocorre que no Brasil o valor do litro de gasolina não está sujeito aos movimentos do mercado, ou seja, a regra da oferta e da procura não vale para os combustíveis, isso porque existe o monopólio estatal que decide o valor a ser pago pelos consumidores. Em 2006, por exemplo, o barril alcançou um preço altíssimo, mas como estávamos num período eleitoral, o governo decidiu subsidiar o preço do combustível, a fim de não atrapalhar a campanha eleitoral, motivação esta confirmada pelo ministro de Minas e Energia à época, Silas Rondeau. Naquele período o consumidor teve o bolso poupado, causando ao governo federal um prejuízo de US$ 13 bilhões. Atualmente o governo está aos poucos reavendo este dinheiro, mantendo alto o preço do combustível mesmo com o valor do barril lá em baixo. A Petrobrás nunca lucrou tanto. Tudo isso ocorre porque no Brasil não há disputa neste setor, cabendo unicamente a Petrobrás, comandada pelo governo federal, decidir investimentos, revendedores, preços etc. Para saber se isso é bom ou não, apenas um debate entre os que defendem a privatização da Petrobrás e os que veem isso como um assunto que nem ao menos merece ser ventilado.    

 

02 – LIGA – O número de freqüentadores do Carlos Bar às sextas-feiras continua aumentando. Ontem, foram iniciados o blogueiro Carlos Santos, o jornalista Mário Gérson, o professor Ranieri Fernandes, o poeta Caio César e seu irmão, Stênio Muniz, estudante do curso de Comunicação Social da UERN, habilitação em jornalismo.

 

Ouvindo A PALO SECO, com CIDADE NEGRA, encerro esse post.