Racionalidades – 88ª edição.

0
161

A ROSA SOB SUSPEITA – Na última quarta-feira a imprensa divulgou que o juiz federal Elio Wanderley de Siqueira Filho, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, havia tornado indisponíveis os bens do ex-senador José Agripino, da ex-governadora Rosalba Ciarlini e do ex-deputado estadual Carlos Augusto, esposo de Rosalba.

O pedido foi feito pelo Ministério Público Federal, com base na operação Sinal Fechado, deflagrada em 2010, que descobriu um esquema de propinas no Detran-RN, mais precisamente na inspeção veicular obrigatória.

O empresário George Anderson, líder do Consórcio Inspar, disse ao MPF que tratou das propinas diretamente com José Agripino e Carlos Augusto, com o objetivo de vencer a licitação para a realização da inspeção veicular, o que acabou acontecendo. O valor pago a título de propina foi R$ 1.150.000,00.

*

FALTA DE SINTONIA – Os rosalbistas ainda não combinaram uma linha única de defesa. Um deles, que milita na imprensa há muitos anos e que se apresenta como jornalista, botou a culpa no ex-governador Iberê Ferreira; já outro, um comerciante, colocou a culpa no PT, pois em 2010 o presidente do Brasil era Lula.

As duas defesas, claro, não têm pé e nem cabeça. Acho até que eles disseram isso a título de pilhéria.

O fato é que ao menos uma evidência muito forte de crime deve existir, pois um juiz não tornaria os bens dos acusados indisponíveis se não existisse nada.

*

REPERCUSSÃO – O fato é que, em ano eleitoral, uma decisão dessas não é muito bem-vinda. A oposição irá explorar isso a larga, e com razão.

Apesar de tudo, continuo apostando na reeleição da prefeita Rosalba Ciarlini (Progressistas).

*

PREVALECEU A SAÚDE – Na segunda, o SindVarejo pediu à prefeita Rosalba Ciarlini (PP) que ela permitisse a abertura do comércio local em horário reduzido. O pedido, óbvia e logicamente, foi negado. A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde do Brasil é que apenas os serviços essenciais funcionem.

Além do mais, se fosse para reabrir, o mais sensato é que fosse utilizado horário estendido, e não reduzido, o que permitiria revezamento dos funcionários – para evitar demissões – e menor aglomeração nas lojas.

*

HIDROXICLOROQUINA – Claro que todos querem um remédio ou vacina para combater o coronavírus Sars-CoV-2. A hidroxicloroquina é apontada como uma das soluções, mas o fato é que não há testes científicos conclusivos mostrando a eficácia do fármaco, muito pelo contrário, a Suécia proibiu seu uso em toda a rede hospitalar daquele país no tratamento de pacientes com Covid-19, pois médicos observaram que ele estava acelerando o processo de infecção, ou seja, antecipando a morte dos contaminados.

Alguns hospitais dos EUA também deixaram de usar o medicamento pelo mesmo motivo.

*

Quem começou a apontar o remédio como solução para acabar com a pandemia foi o presidente dos EUA, Donald Trump, mas logo descobriram que o interesse dele era comercial, por ser coproprietário de um laboratório farmacêutico que produz o fármaco.

*

ISOLAMENTO SOCIAL – O conceito de isolamento vertical, defendido pelo presidente Jair Bolsonaro, não existe na medicina. O isolamento é o social. No geral, os idosos, por hábito, não costumam sair de casa. Quando contraem doenças infectocontagiosas, os agentes transmissores são os filhos, netos e outros parentes. Assim, isolamento vertical e nada é a mesma coisa.

*

SUSPENSÃO DO ALUGUEL – Com a movimentação abruptamente reduzida, muitos comerciantes estão pleiteando junto aos proprietários dos prédios a suspensão da cobrança de aluguel ou então a redução de seu valor, enquanto perdurar a pandemia.

O pedido é válido. Até por que, se o proprietário ajuizar uma ação de despejo, não será muito difícil o juiz acatar as argumentações do locatário. A crise é cediça.

A melhor saída neste momento é um acordo onde todos cedam, não só em contratos de locação, mas em qualquer tipo de contrato ou negociação.

*

FILANTROPIA – Um estudo que mapeia 350 empresas brasileiras no quesito filantropia divulgou que elas, juntas, doaram R$ 2,8 bilhões por ano, em média, nos últimos cinco anos; e que estas mesas empresas, nas últimas três semanas, doaram R$ 2 bilhões.

Isso mostra duas situações que chamam a atenção. Em primeiro lugar, o espírito de solidariedade provocado pela pandemia; e em segundo lugar a enorme capacidade de doação que podemos alcançar. Ora, se as empresas doaram R$ 2 bi em apenas três semanas, isso mostra que eles podem doar bem mais do que R$ 2,8 bi por ano.

*

POR QUESTÕES RELIGIOSAS, o brasileiro não costuma divulgar as doações que faz. Muitos defendem que Deus sabe da ação e que isso basta. No entanto, quem trabalha intermediando doações defende que estas deveriam ser amplamente divulgadas. A uma, para incentivar outras pessoas a fazê-lo; a duas, para criar na sociedade uma cultura de doação.

Concordo totalmente. Quando a gente vê uma reportagem mostrando uma ação filantrópica ou de caridade, logo temos vontade de também ajudar a quem precisa.

Segundo um dado que vi na semana, mais de 80% dos doadores não querem que seus nomes sejam revelados. O gesto de doar é elogiável, mas escondê-lo não ajuda em nada. O mais correto é divulgar mesmo.

*

UM EXEMPLO REAL – Um tempo desses, eu peguei vinte bilhetes de uma rifa beneficente para vender, cada bilhete ao preço de R$ 20. Ao oferecer a um amigo, ele logo me comprou 10, mas pediu para eu não dizer a ninguém e então preencheu tudo com os dados da pessoa a ser beneficiada pela campanha.

O gesto dele foi muito bonito, mas apenas eu soube.

*

RETIFICAÇÃO – Na edição 86, postei que nenhum filho do ex-senador Jorge Bornhausen havia entrado na política. Sempre antenado e dono de uma memória privilegiada, o advogado Ailson Fernandes nos alertou que a informação não estava correta, pois Paulo Bornhausen, filho do ex-senador, fez carreira política, tendo sido, inclusive, deputado federal por três mandatos.

Agradeço a correção feita pelo amigo Ailson.

De fato, Jorge Bornhausen, enquanto político, não queria que os filhos ficassem macaqueando no seu gabinete, como faz os de Jair Bolsonaro, mas não chegou a proibi-los de entrar na política, tanto é que Paulo Bornhausen o fez.

Pelo equívoco, peço desculpas.

*

O PSDB E HUCK – Os tucanos estão divididos. Parte quer seguir a linha mais à direita do governador João Dória; e parte quer que o partido penda mais para a centro-esquerda, levantando a bandeira da social-democracia, remontando assim à origem do partido.

O segundo grupo quer apostar na candidatura do apresentador Luciano Huck, que anda se apresentando como progressista, apesar de o quão isso pareça estranho.

Assim, há dois caminhos para a turma centro-esquerdista: ou ir para a disputa interna ou deixar o PSDB e formar um novo partido.

*

Quanto ao apresentador Luciano Huck, ele está dividido entre esperar o desenrolar do PSDB ou então embarcar no Cidadania (ex-PPS), liderado pelo ex-comunista Roberto Freire, que comanda o partido há 30 anos.

*

ESQUERDA PURA – Enquanto isso, os partidos realmente de esquerda e centro-esquerda, como PT, PC do B, PSB e PDT continuam se engalfinhando. A eleição de Jair Bolsonaro ainda não serviu de lição.

Aliás, a lição já deveria ter sido aprendida há uns cem anos. Afinal, o fascismo cresceu, entre outras coisas, por causa de um racha nas esquerdas, especialmente entre comunistas e socialistas.

*

CONCURSO – O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJ-RN) está preparando um concurso para contratar servidores para as comarcas do interior. A informação foi dada pelo próprio presidente do órgão, o desembargador João Rebouças, em entrevista recente.

O desembargador disse que o processo para a realização do concurso já tinha sido iniciado, mas foi parado por causa da pandemia do coronavírus, devendo ser retomado assim que possível.

Informou ainda que os candidatos concorrerão por comarca, e que as provas serão aplicadas no mesmo dia. Deste modo, a tendência é que o morador de Areia Branca opte por concorrer a uma vaga naquela comarca, da mesma forma os de Mossoró, Apodi etc. tendem a se inscrever para concorrer as vagas em suas comarcas.

Nada impede, contudo, que alguém que resida em Natal queira concorrer a uma vaga para Pau dos Ferros, por exemplo.

O concurso tem como propósito diminuir o número de servidores de outros órgãos no Poder Judiciário. Atualmente, os fóruns estão cheios de servidores cedidos pelos municípios, o que não é o ideal.

*

NO AZUL – O América de Natal divulgou na semana o seu balanço financeiro. Para surpresa de muitos, a equipe está no azul, o que é muito difícil no futebol brasileiro, e ainda mais no futebol potiguar. O saldo positivo é de R$ 725 mil.

*

FRASE“A violência das palavras às vezes e mais dura do que a violência dos punhos, pois as palavras criam histórias”. (Esther Solano).

*

NA NETFLIXO Zoológico de Varsóvia é mais um filme sobre o nazismo baseado em fatos reais. A película mostra a vida de um casal que durante anos escondeu judeus em seu zoológico, localizado na Polônia. Ao todo, abrigaram mais de 300 judeus. Alguns apenas por uma noite e outros por meses.

O filme não empolga. As cenas que relatam os momentos em que eles quase eram descobertos deveriam ser de tirar o fôlego, mas não o são. A película é um platô, apesar de a história sugerir muito tensão e suspense.

*

FEIJOADA – Pelo costume nacional, amanhã (sábado) é dia de almoçar um dos nossos pratos mais típicos: a velha e boa feijoada, acompanhada de arroz, couve-folha refogada, farofa e a laranja, esta para fixar o ferro do feijão no organismo.

Desde o último sábado a Feijoada Brasil é a mais nova opção da cidade, levando para sua casa, em toda a Mossoró, a feijoada completa, nos tamanhos individual e família.

Todo o preparo e entrega seguem as recomendações de higiene e segurança da organização Mundial de Saúde (OMS).

O feijão é uma ótima fonte de proteína vegetal e contém carboidratos complexos, que conferem energia prolongada ao corpo e ao sistema nervoso.

Ligue e peça a sua.

PEI e BUFO  

* O sanfoneiro Guilherme Dantas, compositor da maioria das músicas de Xandy Avião e Wesley Safadão, fará live no YouTube na segunda-feira (20).

* Vários moradores avistaram uma pequena aeronave caindo no mar de Uruaú, em Beberibe (CE), na terça-feira (14). A Capitania dos Portos de Aracati fez buscas na região até ontem à tarde, mas não encontrou nada.

* O príncipe Harry e Meghan Markle doaram R$ 585 mil para o combate à Covid-19.

* Os bancos disponibilizarão R$ 50 bilhões para o “grupo de ricos”: empresas de energia, aéreas e a cadeia automotiva.

* Raul Seixas, quando adolescente, assistiu ao filme Prisioneiro do Rock (1960), 28 vezes.

*

SUGESTÕES/CRÍTICAS – Esta coluna é atualizada às sextas-feiras, sempre às 04h59. Sugestões e críticas podem ser enviadas para o número 99648-2588 (WhatsApp).